14:42 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no final de agosto (50)
    140
    Nos siga no

    Em visita ao Rio Grande do Norte, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (21) que o auxílio emergencial pago durante a crise do coronavírus será estendido até dezembro, mas que não sabe o valor. 

    A declaração foi feita na cidade de Ipanguaçu, onde o presidente participou da entrega simbólica de 23 sistemas dessalinizadores do Programa Água Doce, além do anúncio de ampliação de crédito para a carcinicultura. 

    Ao ouvir a sugestão de uma apoiadora para a prorrogação do benefício, o presidente respondeu que ele ia "até dezembro, só não sei o valor". 

    Bolsonaro ressaltou que a ajuda de R$ 600 mensais paga desde abril pelo governo a trabalhadores informais e desempregados custa R$ 50 bilhões por mês, por isso, "não pode ser eterna". A última parcela do auxílio será distribuída, caso ele não seja prorrogado, no final deste mês.

    "O auxílio emergencial foi bem-vindo, mas ele custa R$ 50 bilhões e, infelizmente, não pode ser definitivo. Mas vamos continuar com ele, mesmo com valores diferentes, até que a economia possa pegar em nosso país", disse o presidente, segundo o portal G1. 

    Bolsonaro também esteve em Mossoró

    O benefício previa o pagamento de três parcelas de R$ 600 em função da pandemia do novo coronavírus. Em julho, o auxílio foi estendido para cinco parcelas. A ajuda é apontada como o principal fator para o aumento da aprovação de Bolsonaro, segundo pesquisa recente do Datafolha. 

    Antes de visitar Ipanguaçu, o presidente esteve em Mossoró, também no Rio Grande do Norte, onde participou da entrega de 300 unidades habitacionais de programa que leva o nome da cidade potiguar. Essa é terceira viagem do presidente a estados do Nordeste em menos de um mês. 

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no final de agosto (50)

    Mais:

    Consultor avalia eventual disputa entre estados e Bolsonaro para aquisição de vacina para COVID-19
    Loja de Flávio Bolsonaro recebeu 1.512 depósitos fracionados em dinheiro vivo
    Bolsonaro abriu os cofres ao Centrão e conseguiu manter veto a reajuste de servidores, diz analista
    Tags:
    economia, Jair Bolsonaro, beneficência, auxílio, Nordeste, Mossoró, Rio Grande do Norte, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar