00:54 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil na pandemia do coronavírus em meados de agosto (62)
    484
    Nos siga no

    Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) solicitou nesta quinta-feira (13) explicações à China sobre suposta contaminação de um lote de frango congelado brasileiro com o novo coronavírus.

    Em nota à imprensa, Mapa afirmou ainda não ter sido notificado pelo governo chinês e destacou que, por enquanto, trata o assunto como uma "suposta detecção" de COVID-19.

    Segundo a pasta, a única notícia sobre a contaminação de um lote de frango partiu da prefeitura de Shenzhen, na província de Guangdong. De acordo com a autoridade sanitária da cidade, material genético do novo coronavírus foi detectado na superfície de uma amostra de asa de frango congelada. Outras amostras do mesmo lote, vindas do Brasil, foram analisadas, com resultado negativo.

    "Ainda na noite de ontem, após notícia veiculada na imprensa chinesa, o Mapa consultou a Administração-Geral de Aduanas da China, buscando as informações oficiais que esclareçam as circunstâncias da suposta contaminação”, destacou o ministério em nota, citada pela Agência Brasil.

    Citando a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Ministério da Agricultura ressaltou que não há comprovação científica de transmissão de COVID-19 por meio de alimentos congelados ou de embalagens de alimentos congelados.

    "O Mapa reitera a inocuidade dos produtos produzidos nos estabelecimentos sob SIF [Serviço de Inspeção Federal], visto que obedecem a protocolos rígidos para garantir a saúde pública", ressaltou o texto.
    Tema:
    Brasil na pandemia do coronavírus em meados de agosto (62)

    Mais:

    Brasil ultrapassa a China e registra mais de 5 mil mortes pela COVID-19
    China suspende importações de 3 frigoríficos do Brasil com medo de novo surto da COVID-19
    Tags:
    COVID-19, frango, China, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar