01:16 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    661
    Nos siga no

    O ex-presidente Michel Temer, convidado pelo presidente Jair Bolsonaro para comandar a missão de ajuda ao Líbano, não pode deixar o Brasil sem autorização judicial.

    O ex-presidente é acusado de corrupção passiva e outros crimes no âmbito da Operação Lava-Jato. Temer foi preso preventivamente duas vezes, em março e maio de 2019, mas foi libertado depois da troca de prisão preventiva por medidas cautelares. Entre essas está a proibição de deixar o país sem autorização judicial.

    Apesar disso, Temer conseguiu autorização da Justiça em duas ocasiões para viajar para o exterior e palestrar no Reino Unido e na Espanha, informou O Globo.

    Para liderar a missão de ajuda ao Líbano, o ex-presidente, que é descendente de libaneses, comunicou à Justiça a intenção de viajar e aguarda a autorização.

    Na terça-feira (4), uma forte explosão destruiu a região portuária de Beirute, capital libanesa, deixando mais de 150 mortos e pelo menos seis mil pessoas feridas, além de outros milhares de desalojados. O Brasil participou de uma reunião com líderes internacionais neste domingo (9) e anunciou o envio de ajuda técnica e humanitária para o país.

    Mais:

    Explosão em Beirute deixou Líbano à beira do abismo, dizem economistas
    Premiê do Líbano diz que corrupção causou explosão em Beirute
    Vêm à tona FOTOS do navio que transportou nitrato de amônio para Beirute
    Tags:
    Brasil, Líbano, Jair Bolsonaro, Michel Temer
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar