15:08 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    160
    Nos siga no

    Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) disse que acusações contra o secretário estadual de Transportes, Alexandre Baldy, preso nesta quinta-feira (6), "não tem relação com a atual gestão do governo".

    O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, expediu seis mandados de prisão e 11 de busca e apreensão em Petrópolis (RJ), São Paulo, São José do Rio Preto (SP), Goiânia e Brasília. 

    Entre os detidos estão Alexandre Baldy, secretário de Transportes do estado de São Paulo, e de um pesquisador da Fiocruz, Guilherme Franco Netto. A prisão dos dois é temporária, com prazo de cinco dias, mas com possibilidade de prorrogação. 

    Ex-deputado e ministro de Temer

    As acusações contra Baldy se referem ao período em que ele era deputado federal por Goiás e ministro das Cidades do governo Temer. Segundo a investigação, ele usou a influência dos dois cargos para intermediar contratos, sobre os quais ganharia um percentual.

    Doria disse ainda que "não há nenhuma implicação na sua atuação na Secretaria de Transportes Metropolitanos", e que tem confiança de que "Baldy saberá esclarecer os acontecimentos e colaborar com a Justiça". 

    ​As prisões são parte da Operação Dardanários, que apura desvios na Saúde no Rio de Janeiro e em São Paulo. 

    Bretas participou de atos ao lado de Bolsonaro

    O juiz que determinou as prisões, Marcelo Bretas, responsável pela operações da Lava Jato no Rio de Janeiro, é apontado como muito próximo do presidente Jair Bolsonaro, adversário de Doria. 

    A participação do magistrado em atos políticos ao lado do presidente é alvo de processo disciplinar por parte do TRF2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região), aberta a pedido do corregedor nacional do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), ministro Humberto Martins.

    Mais:

    'Nós não deixaremos' ditadura voltar ao Brasil, diz João Doria
    Doria anuncia produção de vacina pelo Instituto Butantan ao lado de laboratório chinês
    SP espera autorização federal para testar vacina chinesa, diz Doria
    Tags:
    Jair Bolsonaro, corrupção, prisão, governo, transportes, São Paulo, Lava Jato, Marcelo Bretas, João Doria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar