08:21 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 70
    Nos siga no

    O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta quarta-feira (29) um período maior de inelegibilidade para ex-juízes e ex-promotores.

    Mais cedo, a mesma medida foi defendida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, durante a sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

    "Acho que presidente Toffoli está correto. Essa matéria está amadurecida e está muito perto de chegar em um ponto. As carreiras de Estado não podem ser usadas como trampolim pessoal. Essa transição entre a carreira de estado e as eleições precisa ter um prazo", afirmou Maia, citado pela Agência Brasil, durante uma coletiva de imprensa na Câmara.

    Para Maia, o prazo de oito anos, defendido por Toffoli, é longo e equivale a duas legislaturas. Segundo o presidente da Câmara, a proposta já estava sendo discutida pela casa, mas sua análise foi adiada em função da pandemia.

    "O presidente Toffoli conhece o Judiciário e propôs oito anos. É um prazo alto para que uma decisão judicial não influencie o processo eleitoral, mas não discuto o prazo. O Parlamento deve ouvir e decidir se oito, seis ou quatro anos", disse Maia.

    Em sua avaliação, o projeto de lei deve ser analisado ainda neste ano e pode estar em vigor para as eleições federais de 2022.

    Mais:

    Mourão defende imposto sobre transações financeiras; Maia quer relançar campanha 'Xô, CPMF'
    Maia 'não vê espaço' para debater impeachment de Bolsonaro, alvo de 48 pedidos na Câmara
    Tags:
    Dias Toffoli, Brasil, Congresso, Rodrigo Maia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar