09:58 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho (61)
    143811
    Nos siga no

    Entidades da área de saúde apresentaram denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro por "prática de crime contra a Humanidade" no Tribunal Penal Internacional (TPI), com sede em Haia.

    A denúncia teve como base a atuação do chefe de Estado na pandemia da COVID-19. O texto diz que "alguns governantes menosprezaram a gravidade da pandemia, dentre eles o presidente do Brasil", segundo o jornal O Globo. 

    A apresentação foi feita pela Rede Sindical Brasileira UNISaúde, coalizão de entidades que representa mais de 1.000.000 de trabalhadores de saúde do Brasil.

    O documento afirma que a "atitude de menosprezo, descaso e negacionismo" trouxe "consequências desastrosas", "com total estrangulamento dos serviços de saúde, que se viu sem as mínimas condições de prestar assistência às populações, advindo disso, mortes sem mais controles". 

    'Falhas graves e mortais'

    A denúncia conclui que "omissão" do governo brasileiro pode ser considerada "crime contra a humanidade" e "genocídio". O texto fala ainda em "falhas graves e mortais" na condução da resposta à epidemia no país.

    Para sustentar essa tese, as entidades citam a campanha feita por Bolsonaro sobre o uso da hidroxicloroquina, medicamento que não tem eficácia comprovada no tratamento da COVID-19. Além disso, é mencionado o fato de o presidente ter promovido aglomerações, com agravante de não usar máscara. 

    "No entendimento da coalizão, há indícios de que Bolsonaro tenha cometido crime contra a humanidade durante sua gestão frente à pandemia, ao adotar ações negligentes e irresponsáveis, que contribuíram para as mais de 80 mil mortes pela doença no país", diz o texto. 

    Bolsonaro foi denunciado outras vezes

    O documento também acusa o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de ter abandonado "a defesa do distanciamento social mais rígido" e passado a recomendar tratamentos para a doença sem comprovação científica. 

    ​Essa não é a primeira denúncia envolvendo Bolsonaro em Haia, que fica nos Países Baixos. Recentemente, ele foi acusado de risco de genocídio devido à política adotada em relação aos indígenas durante a pandemia do coronavírus. Outra, da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, também se refere à atuação de Bolsonaro na resposta à COVID-19.

    O tribunal recebe centenas de denúncias por ano e leva meses até decidir sobre a abertura de uma investigação.

    Segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado neste domingo (26), o Brasil tem 2.419.091 infectados pelo coronavírus e 87.004 mortes causadas pela COVID-19. 

    Tema:
    Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho (61)

    Mais:

    Moro diz ter saído do governo Bolsonaro por agenda anticorrupção
    Papa Francisco pede apoio a idosos isolados pela pandemia: 'Não os deixem sozinhos'
    Governo francês promete reembolso para todo cidadão que fizer teste para coronavírus
    Tags:
    genocídio, saúde, Haia, Tribunal Penal Internacional (TPI), crime, Jair Bolsonaro, epidemia, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar