03:54 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho (61)
    0 40
    Nos siga no

    Uma comissão vinculada à Organização dos Estados Americanos (OEA) pediu nesta segunda-feira (20) ao governo do Brasil que tome medidas para proteger os povos yanomami e yekuana da disseminação da pandemia do novo coronavírus.

    Em comunicado, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da entidade concedeu 15 dias ao governo do presidente Jair Bolsonaro para descrever quais medidas foram adotadas, como a provisão de cuidados de saúde adequados, para proteger os meios de subsistência dos povos indígenas.

    A comissão da OEA já havia sido instada a tomar uma posição, com uma questão sobre a possível exposição dos yanomami a garimpeiros ilegais que operam em suas terras indígenas.

    "A comissão considera que [...] os direitos à vida, à integridade pessoal e à saúde dos membros dos povos indígenas yanomami e yekuana estão sob séria ameaça", afirmou o comunicado da Comissão da OEA.

    A assessoria de imprensa do governo se recusou a comentar o assunto.

    Recentemente, a Justiça brasileira também determinou que o governo Bolsonaro proteja os povos indígenas dos males da COVID-19, que os atinge mais fortemente diante da falta de proteção biológica e de infraestrutura de saúde próxima às suas aldeias.

    Em várias oportunidades, Bolsonaro advogou pelo uso de terras indígenas para atividades de garimpo e mineração, fato criticado pelas lideranças indígenas.

    Tema:
    Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho (61)

    Mais:

    COVID-19 atinge quase um terço das etnias indígenas no Brasil, segundo comitê
    Barroso determina que governo crie plano para evitar morte de indígenas por coronavírus
    Brasil quadruplica óbitos em 2 meses e supera a marca de 80 mil vítimas pela COVID-19
    Tags:
    Jair Bolsonaro, pandemia, saúde, movimento indígena, terras indígenas, povos indígenas, indígenas, direitos humanos, CIDH, Organização dos Estados Americanos (OEA), novo coronavírus, COVID-19, América, Américas, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar