08:59 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho (47)
    51311
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro comemorou na manhã deste domingo (19) a importação de sedativos, analgésicos e neurobloqueadores do Uruguai.

    Em sua conta no Twitter, Bolsonaro publicou um vídeo, produzido pelo Exército Brasileiro, sobre importação de medicamentos para pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTI) em hospitais do Rio Grande do Sul (RS) e de Santa Catarina (SC).

    A aquisição foi feita na última sexta-feira (16), informou Agência Brasil.

    ​O Ministério da Saúde informou em nota a aquisição, em parceria com empresas uruguaias, de 54.867 unidades de medicamentos usados no auxílio da intubação de pacientes em UTI, que se encontram em estado grave ou gravíssimo pela COVID-19.

    "O reforço foi entregue na sexta-feira (17) às Secretarias de Saúde do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que estão com os estoques baixos dos medicamentos. São 48.867 unidades de Propofol, cinco mil de Priaxim e mil unidades de dexmedetomidina. A aquisição custou ao Ministério da Saúde US$ 298,5 mil [R$ 1,6 bilhão]", informou o órgão.

    Segundo atualização do Ministério da Saúde, nesse sábado (18) Rio Grande do Sul registrou 137 casos novos de COVID-19 e 63 óbitos em consequência da doença. No total, o estado acumula 46,8 mil casos de infecção pelo novo coronavírus e 1.229 óbitos. Em Santa Catarina, no mesmo dia, foram registrados 982 casos novos de contaminação e 16 mortes. No total, o estado acumula 52,5 mil casos de COVID-19 e 662 mortes.

    Tema:
    Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho (47)

    Mais:

    Médicos franceses pedem mais respeito ao uso da máscara
    Governo zera tarifas de medicamentos usados no combate ao coronavírus
    Brasil e EUA fracassam na luta contra COVID-19, mas ainda há chance de reverter situação, diz médico
    Tags:
    COVID-19, Twitter, vídeo, medicamentos, Uruguai, Brasil, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar