00:21 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho (47)
    260
    Nos siga no

    O fechamento de vagas formais de emprego durante o período da pandemia é maior na faixa de um a dois salários mínimos, segundo levantamento baseado em dados do governo federal.

    Os dados foram publicados pelo portal G1 através de informações sobre o emprego no Brasil obtidas junto ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

    O levantamento aponta que até o mês de maio deste ano o país acumulou um total de 1,145 milhão de vagas fechadas. Desse total, mais da metade estaria na faixa de 1,01 a 1,5 salário mínimo. Entre as vagas que pagam entre 1,51 e dois salários mínimos, foram fechados 229,3 mil postos de trabalho no mesmo período.

    Comércio da cidade do Rio de Janeiro funciona com restrições.
    © Foto / Fernando Frazão/Agência Brasil
    Comércio da cidade do Rio de Janeiro funciona com restrições.

    Somadas, as duas faixas salariais correspondem a 75,5% de todas as vagas fechadas em meio à crise do novo coronavírus no Brasil.

    Entre as vagas com pagamento entre dois e quatro salários mínimos houve também o fechamento de 170.167 postos de trabalho. Na faixa até meio salário mínimo foram fechadas 24.227 vagas no período até maio.

    Desemprego e PIB

    Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa geral de desemprego no Brasil fechou o primeiro trimestre de 2020 em 11,9%. Entre os jovens com idade entre 18 e 27 anos, a taxa chega a 27%.

    A expectativa sobre o PIB brasileiro é de forte queda no ano, chegando a um recuo de até 9,1%, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI).

    Tema:
    Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho (47)

    Mais:

    IBGE: desemprego sobe em todas as regiões do Brasil no 1º trimestre de 2020
    Desemprego no Brasil: número de desocupados ultrapassa o de ocupados pela 1ª vez
    COVID-19: FMI prevê queda de 9,1% da economia brasileira em meio à pandemia
    Tags:
    COVID-19, FMI, IBGE, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar