03:34 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho (47)
    160
    Nos siga no

    O Brasil registrou mais 1.071 mortes pela COVID-19 nas últimas 24 horas, fazendo total de óbitos pela doença alcançar 71.469, segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado neste sábado (11).

    De acordo com a pasta, o país contabilizou mais 39.023 casos do coronavírus. Total de pessoas infectadas é de 1.839.850. 

    A taxa de letalidade é de 3,9%, enquanto o índice de mortalidade (por 100.000 habitantes) é de 34. Já a taxa de incidência de casos (por 100.00 habitantes) é de 875,5. 

    O número de pessoas recuperadas da COVID-19 é de 1.100.873. Os casos em acompanhamento somam 667.508. 

    No informe de sexta-feira (10), foram mais 45.048 novos diagnósticos e 1.214 mortes.

    Os dados não significam que as mortes ocorreram nas últimas 24 horas, mas se refere ao números de óbitos que tiveram causa confirmada pela COVID-19 nesse período. 

    São Paulo é o estado mais atingido pela epidemia, com 366.890 casos e 17.702 mortes, número de infectados que supera o registrado em países como Reino Unido, Espanha e Itália. 

    O Ceará é o segundo estado brasileiro com mais casos, somando 135.945, e o terceiro em número de mortos, com 6.853 vítimas. O Rio de Janeiro tem 129.675 infecções e 11.406 óbitos, o que o coloca atrás de São Paulo como o segundo estado com mais mortes. 

    Mortes em alta no Sul e Centro-Oeste

    Segundo levantamento feito por consórcio de veículos de imprensa, o número de mortes vem subindo em todos os estados das regiões Sul e Centro-Oeste, incluindo Distrito Federal. No Nordeste, tem permanecido estável na maioria dos estados, com queda em Pernambuco e alta no Piauí. 

    A região Norte apresenta estabilidade em Rondônia, Roraima e Amazonas, e queda no Pará, Acre e Amapá. 

    No Sudeste, a taxa de óbitos cresce em Minas Gerais, permanece estável em São Paulo e Espírito Santo, e está em queda no Rio de Janeiro. 

    Tema:
    Brasil combatendo pandemia do coronavírus em meados de julho (47)

    Mais:

    América Latina será prioridade no envio da Avifavir, droga russa contra a COVID-19, diz CEO
    Michelle Bolsonaro diz que ela e filhas testaram negativo para COVID-19
    Médicos franceses pedem mais respeito ao uso da máscara
    Tags:
    Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasil, casos, mortes, Ministério da Saúde, saúde, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar