09:22 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1153
    Nos siga no

    As autoridades apreenderam em dezembro de 2019 caderno de Márcia Oliveira de Aguiar, esposa de Fabrício Queiroz, que poderia ajudá-la em caso de prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). As anotações incluem contatos de diversos políticos.

    De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, Márcia, que está foragida, tinha anotado o número do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), sua esposa Michelle Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro e sua esposa Fernanda. 

    Também há indicação de um contato que mantinha uma pistola Glock de Queiroz enquanto ele se escondia em São Paulo. Detido no dia 18 de junho em Atibaia no escritório de Frederick Wassef, que se apresentava como representante legal da família presidencial, Queiroz é apontado pelo Ministério Público como operador do esquema de rachadinha no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro. 

    Ainda de acordo com a publicação, a caderneta de Márcia tinha o contato de dois deputados estaduais do Rio de Janeiro, Rodrigo Amorim (PSL) e Marcelo do Seu Dino (PSL), o deputado federal Lourival Gomes (PSL-RJ), o miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega e um nome possivelmente ligado à família Brazão.

    Queiroz está preso no Rio de Janeiro. 

    Ex-PM Fabrício Queiroz (primeiro à dir.) ao lado de policiais militares e do seu ex-patrão, Flávio Bolsonaro (primeiro à esq.)
    © Foto / Reprodução / Twitter
    Ex-PM Fabrício Queiroz (primeiro à dir.) ao lado de policiais militares e do seu ex-patrão, Flávio Bolsonaro (primeiro à esq.)

    Mais:

    Fabrício Queiroz negocia delação premiada com MP, diz CNN Brasil
    Em depoimento à PF, Queiroz diz que desconhece vazamento de investigação para Flávio Bolsonaro
    Mulher de Queiroz reclama de advogado de Bolsonaro e questiona: 'Vão matar?', diz jornal
    Queiroz presta depoimento e não nega vazamento de operação da PF
    Tags:
    investigação, PM, Jair Bolsonaro, milícia, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar