22:49 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    466
    Nos siga no

    Ítalo Augusto foi assassinado com um tiro na testa nesta quarta-feira (1º) em São João do Meriti, na Baixada Fluminense.

    A criança de sete anos estava brincando na porta de casa no Bairro do Éden quando foi atingida. Ítalo foi levado a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos.

    "Estavam no portão, tinha um carro da polícia parado mais longe e passou uma moto dando tiros, mas estavam longe, nem sei como esse tiro alcançou ele", afirmou Fabio Luiz Correa, primo da vítima, em entrevista ao UOL. Ainda de acordo com Correa, outras seis crianças brincavam com Ítalo no momento de seu assassinato. 

    A Polícia Militar afirmou que uma equipe da corporação foi atacada pelo "ocupante de uma motocicleta" e que os policiais não revidaram os disparos

    "Ele foi atingido, caiu no chão. Minha sobrinha chegou a falar: 'Italo, levanta!' Depois ela viu o sangue escorrendo e começou a gritar. Era uma criança que quase não saia de casa. Ia para a igreja com a família. Um garoto que adora dançar. Difícil acreditar que isso aconteceu. A polícia tava parada. Não vamos botar a culpa na polícia. Não fizeram nada. Estou com medo da minha sobrinha fazer loucura. A gente vai ter que ficar agarrado nela", disse a tia-avó do menino, Jurema da Silva, em entrevista ao UOL. 

    De acordo com a plataforma de dados Fogo Cruzado, o Estado do Rio de Janeiro registrou 505 tiroteios em maio de 2020.

    Mais:

    EUA vivem 'onda de violência explosiva e encruzilhada mortal'
    Deputado diz que denunciará à ONU exclusão de violência policial no Brasil de relatório do governo
    Em Paris, polícia usa gás lacrimogêneo em protesto contra o racismo e violência policial (FOTOS)
    Damares omite dados de violência policial para blindar governo de protestos, diz analista
    Tags:
    racismo, violência, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar