11:38 07 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    7151
    Nos siga no

    O novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, não tem mais o apoio dos militares que integram o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

    De acordo com o jornal O Globo, o apoio foi retirado após serem encontradas inconsistências nas informações do currículo de Decotelli.

    O reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, onde o novo ministro afirma ter feito doutorado, afirmou que Decotelli cursou disciplinas na instituição, mas não é doutor porque sua tese foi reprovada. A Universidade de Wüppertal nega que Decotelli tenha feito pós-doutorado na instituição. Reportagem do UOL também indicou que o mestrado do novo ministro da Educação tem indícios de plágio. 

    De acordo com O Globo, o ministro-chefe da Casa Civil, general Walter Braga Netto, e o secretário de Assuntos Estratégicos, almirante Flávio Rocha, estiveram entre os "principais fiadores" de Decotelli. A publicação afirma que o apoio ao ministro pode retornar caso exista uma "justificativa plausível" para as informações contraditórias do currículo.

    Nomeado no dia 25 de junho para chefiar o Ministério da Educação após a saída de Abraham Weintraub, a posse de Decotelli estava prevista para a terça-feira, 30 de junho, mas foi adiada. Não há nova data.

    Mais:

    Bolsonaro: ex-presidente do FNDE será novo ministro da Educação
    Reitor desmente que novo ministro da Educação do Brasil tem título de doutor em Rosário
    Novo ministro da Educação deve acelerar pauta de Bolsonaro no setor, diz pedagogo
    Após problemas com mestrado e doutorado, ministro da Educação tem pós-doc desmentido na Alemanha
    Tags:
    ministro, MEC, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar