00:06 12 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3144
    Nos siga no

    O reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, desmentiu informação de que o novo ministro da Educação, Carlos Decotelli, tem título de doutor pela instituição. 

    Ao anunciar o novo chefe da pasta, o presidente Jair Bolsonaro publicou em redes sociais um pequeno currículo de Decotelli, segundo o qual ele seria doutor pela instituição argentina. 

    Segundo Franco Bartolacci, reitor da universidade argentina, Decotelli "não obteve nenhuma titulação de doutor". 

    Nos vemos na necessidade de esclarecer que Carlos Alberto Decotelli da Silva não obteve nenhuma titulação de doutor na Universidade Rosário mencionada nesta comunicação

    Em resposta à coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o reitor da Universidade Nacional de Rosário disse que o ministro "cursou o doutorado, mas não finalizou, portanto não completou os requisitos exigidos para obter a titulação de doutor".

    De acordo com o jornal, o Ministério da Educação manteve a informação de que o novo chefe da pasta possui o título e enviou cópia de um certificado, com o símbolo da universidade argentina, afirmando que Decotelli cursou a totalidade do curso. Para obter o diploma, no entanto, é preciso defender a tese de doutorado, o que a pasta não esclareceu se foi feito. 

    Em seu currículo na plataforma lattes, o ministro informa que fez o curso em Rosário entre 2007 e 2009, no qual apresentou o trabalho "Gestão de Riscos na Modelagem dos Preços da Soja".

    Ministro é militar da reserva

    Decotteli, primeiro negro a assumir cargo de ministro no governo Bolsonaro, é oficial da reserva da Marinha e lecionou em cursos militares. Ele também presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

    Sua nomeação foi vista como forma de agradar o núcleo militar do governo e apaziguar os ânimos após a conturbada passagem de Abraham Weintraub pela pasta. 

    Mais:

    MP que permitia escolha de reitores federais por ministro da Educação é vetada
    Bolsonaristas mandam recado para opositores do ministro da Educação: 'Não mexam com Weintraub'
    Weintraub anuncia a saída do Ministério da Educação; discípulo de Olavo pode substituí-lo
    Tags:
    Brasil, Argentina, diploma, Ministério da Educação, educação, Jair Bolsonaro, governo, MEC
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar