16:07 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Situação com coronavírus no Brasil no fim de junho (51)
    120
    Nos siga no

    Apesar de a cidade de São Paulo ter entrado na fase amarela de plano de reabertura da economia traçado pelo governo do estado, bares e restaurantes só deverão voltar a funcionar no município em 6 de julho. 

    De acordo com o cronograma de flexibilização da quarentena estabelecido pelo executivo estadual, cidades na fase amarela podem reabrir esse tipo de estabelecimento. A decisão final, contudo, é de cada prefeitura. Em razão da epidemia do novo coronavírus, foram adotadas medidas de isolamento social para conter a disseminação da COVID-19.

    O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse nesta sexta-feira (26) que o ideal é esperar mais uma semana para a reabertura de bares e restaurantes. Empresários esperavam retomar as atividades desses estabelecimentos a partir de segunda-feira (29).

    "A recomendação dada pelo Centro de Contingência é que, apesar de o município estar agora na fase amarela, a gente esperar uma semana. Portanto, a classificação que nós teremos na sexta-feira da semana que vem (3), para que o município possa abrir aquilo que a fase amarela permite", afirmou o prefeito durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, segundo o portal G1. 

    Abertura apenas com protocolos de saúde

    Na quinta-feira (25), Covas afirmou que a reabertura poderia ser autorizada caso a capital fosse para a fase amarela, mas isso só aconteceria após os protocolos de saúde serem assinados com os setores.

    "[A espera por mais uma semana] vale para bares e restaurantes, salão de beleza e barbearia, e vai valer para os setores que já estão abertos [comércio, shoppings e serviços], que vão poder ampliar seu horário de atendimento caso confirmado o município permanecendo na fase amarela", afirmou o prefeito na coletiva. 

    ​Na quarta-feira (24), a capital teve recorde de casos, com 19 mil novos registros de pessoas infectadas com o coronavírus, mas segundo a prefeitura, motivo foi uma correção do acumulado semanas após instabilidade em sistema do Ministério da Saúde.

    De acordo com os governos estaduais e da cidade de São Paulo, a epidemia está em declínio na capital, mas avança pelo interior do estado.

    Quarentena no estado é prorrogada

    O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (26) que a quarentena no estado será prorrogada até 14 de julho, com o plano de flexibilização por etapas continuando em vigor. 

    "Nós vamos anunciar hoje o sexto período da quarentena, que começa no dia 29 de junho e vai até o dia 14 de julho. Estamos completando 100 dias de quarentena no próximo dia 1º de julho", disse Doria (PSDB), segundo o G1. 

    A maior parte do estado está na fase vermelha, a mais restritiva, com cinco regiões tendo regredido para esse estágio, após avançarem para uma etapa que permite maior abertura. 

    Tema:
    Situação com coronavírus no Brasil no fim de junho (51)

    Mais:

    São Paulo bate recorde de mortes diárias por COVID-19
    Em São Paulo, PM é preso acusado de assassinar adolescente negro
    Testes de vacina contra COVID-19 desenvolvida em Oxford começam em São Paulo
    Tags:
    saúde, economia, pandemia, epidemia, Bruno Covas, João Doria, Brasil, capital, São Paulo, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar