05:11 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 14
    Nos siga no

    A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (26) uma operação contra hackers suspeitos de terem acessado e divulgado dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro e sua família.

    A investigação aponta que há suspeita de que houve acesso ilícito a dados pessoais de mais de 200 mil servidores públicos e autoridades através da invasão de sistemas de universidades federais, prefeituras e câmaras de vereadores municipais em diversos estados.

    A informação sobre o acesso a dados pessoais da família Bolsonaro foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo.

    Em nota, a PF se limita a dizer que o grupo tinha como objetivo de "intimidar e constranger tanto as instituições quanto as vítimas que tiveram seus dados e intimidade expostos", mas não menciona o presidente ou seus familiares.

    "De acordo com o Inquérito Policial, integrantes do grupo hacker investigado obtiveram e expuseram de forma ilícita dados pessoais de mais de 200 mil servidores e autoridades públicas, com o objetivo de intimidar e constranger tanto as instituições quanto as vítimas que tiveram seus dados e intimidade expostos", escreveu a PF.

    A operação cumpre mandados nos estados do Rio Grande do Sul e Ceará e conta com a participação de 20 policiais federais.

    "A investigação se concentra na apuração dos crimes de invasão de dispositivo informático, corrupção de menores, estelionato e organização criminosa", disse a PF.

    Mais:

    Polícia Federal conclui que Adélio agiu sozinho em facada contra Bolsonaro
    Polícia Federal diz ao STF que precisa do depoimento de Bolsonaro sobre acusações de Moro
    Bolsonaro assina lei que permite doação de alimentos e refeições não vendidas
    Justiça atende recurso de Flávio Bolsonaro no caso das 'rachadinhas', que segue para 2ª instância
    Bolsonaro paz e amor? Presidente prega 'entendimento' entre poderes
    Tags:
    hackers, operação, Polícia Federal - PF, Polícia Federal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar