09:19 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    4274
    Nos siga no

    Ao longo da gestão do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, a empresa Globalweb Outsourcing recebeu R$ 41,6 milhões do governo federal.

    Segundo publicou o site UOL, a empresa foi fundada por Cristina Boner Leo, ex-esposa de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro e que defende o senador Flávio Bolsonaro. Os valores pagos à empresa foram efetuados entre janeiro de 2019 e junho deste ano.

    A empresa também manteve contratos com o governo durante a gestão de Dilma Rousseff e Michel Temer. No entanto, os valores pagos na gestão Bolsonaro até agora à empresa se aproximam ao montante pago em todo período de quatro anos do governo anterior. Na gestão Dilma/Temer a empresa recebeu um total de R$ 42 milhões.

    Levantamento realizado pelo site UOL mostra que a empresa teve contratos anteriores prorrogados na gestão Bolsonaro com adição de R$ 165 milhões. Novos contratos também foram fechados, chegando a mais R$ 53 milhões.

    O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) durante votação no plenário do Senado Federal, em Brasília (DF).
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) durante votação no plenário do Senado Federal, em Brasília (DF).

    A Globalweb Outsourcing presta serviços de tecnologia da informação e informática a diversos órgãos federais, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) e também o Ministério da Educação.

    Ao site UOL, Wassef negou relação com a empresa, defendeu Jair Bolsonaro e disse que a ex-esposa o persegue.

    Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, é preso pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo em Atibaia, Brasil, 18 de junho de 2020
    © AFP 2020 / Nelson Almeida
    Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, é preso pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo em Atibaia, Brasil, 18 de junho de 2020

    Wassef tornou-se um dos protagonistas da crise política no Brasil desde a prisão de Fabrício Queiroz na quinta-feira (18). Queiroz, investigado por suspeita de gerir um esquema de corrupção no gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ), estava escondido em um imóvel pertencente a Wassef na cidade de Atibaia, interior de São Paulo.

    Mais:

    Flávio Bolsonaro nega ter recebido informação privilegiada sobre operação contra Queiroz
    Flávio Bolsonaro diz que está tranquilo e que prisão de Queiroz é movimento para atacar presidente
    Fabrício Queiroz reaparece, volta a assombrar o Planalto e isola Bolsonaro
    Prisão domiciliar para Queiroz é negada pela Justiça do Rio de Janeiro
    Advogado da família Bolsonaro disse que nunca falou com Queiroz e que também não é 'Anjo'
    Segundo Wassef, Bolsonaro e filho não sabiam onde estava Queiroz
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar