09:26 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    A prisão domiciliar para Fabrício Queiroz foi negada pela desembargadora Suimei Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, na madrugada deste sábado (20).

    A defesa do ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, representada por Paulo Catta Preta, apresentou na sexta-feira (19) o pedido de habeas corpus, onde solicitava a prisão domiciliar de Queiroz.

    O mérito do habeas corpus será julgado futuramente pelo colegiado da 3ª Câmara Criminal, segundo o portal G1. 

    A prisão de Queiroz ocorreu na manhã de quinta-feira (18) em Atibaia, no interior paulista, a 80 quilômetros da capital.

    Fabrício Queiroz, ex-assessor e ex-motorista do atual senador Flávio Bolsonaro, chega no aeroporto de Jacarepaguá (RJ) em helicóptero da polícia, 18 de junho de 2020
    © REUTERS / Ricardo Moraes
    Fabrício Queiroz, ex-assessor e ex-motorista do atual senador Flávio Bolsonaro, chega no aeroporto de Jacarepaguá (RJ) em helicóptero da polícia, 18 de junho de 2020

    O advogado de Queiroz argumentou com o "atual estágio da pandemia do coronavírus", afirmando que o acusado "é portador de câncer no cólon e recentemente se submeteu à cirurgia de próstata".

    Apesar dos argumentos, a defesa de Queiroz afirma não ter obtido "prontuários, laudos e relatórios médicos", pois a Santa Casa de Bragança Paulista teria exigido "determinação legal" para que os documentos fossem entregues.

    Após sua prisão, Queiroz passou a primeira noite em Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, onde ocupa isolado uma cela de seis metros quadrados devido ao protocolo contra a COVID-19.

    Mais:

    STJ autoriza prisão domiciliar para quem deve pensão alimentícia durante pandemia
    Weintraub tem 5 dias para explicar pedido de 'prisão' de ministros do STF
    Lava Jato: ex-presidente da Petrobras é condenado a 6 anos de prisão por corrupção
    Tags:
    Flávio Bolsonaro, assessor, Politico, prisão, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar