07:10 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    687
    Nos siga no

    O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) teve a maior parte das contas de plano de saúde e mensalidade escolar de suas filhas pagas com dinheiro vivo, disse o Ministério Público do Rio de Janeiro.

    Segundo a Promotoria, o plano de saúde da família do senador foi praticamente todo quitado em espécie, de acordo com a investigação. Foram 63 boletos pagos na boca do caixa com dinheiro vivo, que somam R$ 108.407,98. As contas do casal só registram débitos de R$ 8.965,45 para o serviço.

    As escolas das netas de Jair Bolsonaro foram pagas com dinheiro vivo através de 53 boletos, que somavam R$ 153.237,65. No entanto, as contas de Flávio Bolsonaro e Fernanda, mulher do senador, apresentam débito de apenas R$ 95.227,36.

    Segundo o Ministério Público, cerca de 70% do valor pago por esses dois serviços foi quitado em espécie entre os anos de 2013 e 2018. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

    Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, é preso pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo em Atibaia, Brasil, 18 de junho de 2020
    © AFP 2020 / Nelson Almeida
    Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, é preso pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo em Atibaia, Brasil, 18 de junho de 2020

    A suspeita do órgão é que o senador e sua esposa usaram o dinheiro supostamente proveniente da "rachadinha" no gabinete de quando Flávio Bolsonaro era deputado estadual no Rio de Janeiro.

    A investigação também identificou pelo menos uma oportunidade em que o pagamento foi registrado pelo ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, preso na manhã desta quinta-feira (18). Imagens de uma agência do Banco Itaú em 2018 mostraram o então assessor realizando um pagamento na mesma hora e valor da quitação dos boletos das filhas de Flávio Bolsonaro.

    A suspeita é que os funcionários do senador repassavam parte do salário a Fabrício Queiroz, apontado pelo Ministério Público como operador financeiro do esquema da "rachadinha".

    Mais:

    Ligado a Bannon, amigo de Flávio Bolsonaro pode ganhar cargo no Itamaraty, diz jornal
    Queiroz ganha topo no Twitter e leva Flávio Bolsonaro para os assuntos mais comentados
    Fabrício Queiroz é preso em SP; Justiça do RJ também autoriza prisão de sua mulher (VÍDEO)
    Flávio Bolsonaro diz que está tranquilo e que prisão de Queiroz é movimento para atacar presidente
    Tags:
    pagamento, desvio de verbas públicas, corrupção, Fabrício José de Queiroz, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar