22:48 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    10234
    Nos siga no

    Especulada há dias em Brasília, foi confirmada nesta quinta-feira (18) a saída do ministro da Educação, Abraham Weintraub, do cargo. A notícia foi confirmada pelo próprio, em um vídeo ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

    Weintraub ficou 14 meses no comando do MEC, substituindo Ricardo Vélez Rodriguez, e colecionou polêmicas. Nas mais graves delas, ofendeu a China e classificou os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) como "vagabundos".

    De acordo com o portal G1, Weintraub não deverá sair de mãos vazias do governo Bolsonaro, que pretende indicá-lo para um posto que cabe ao Brasil no Banco Mundial, em Washington.

    "Sim, desta vez é verdade. Eu estou saindo do MEC e vou começar a transição agora. Nos próximos dias, eu passo o bastão para o ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo", declarou o agora ex-ministro no vídeo ao lado de Bolsonaro.

    Além de confirmar a notícia a respeito do seu próximo posto, no Banco Mundial, Weintraub preferiu não falar dos motivos da sua saída – que já era pedida até por setores do próprio governo, como a ala dos militares –, afirmando que "não cabe" tratar do assunto neste momento.

    Ele ainda destacou estar temendo pela segurança de sua família, e destacou a manutenção do seu apoio ao presidente Bolsonaro.

    "Com isso, eu, a minha esposa, os nossos filhos e até a nossa cachorrinha Capitu, a gente vai poder ter a segurança que hoje me está deixando muito preocupado. Estou fechando um ciclo, presidente, e começando outro. E é claro que eu sigo apoiando o senhor presidente Bolsonaro como eu fiz nos últimos três anos", completou.

    O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação Abraham Weintraub
    © AP Photo / Eraldo Peres
    O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação Abraham Weintraub

    Da sua parte, Bolsonaro destacou que "confiança você não compra, você adquire", e que todos estão atentos ao que o país está passando. "O momento é de confiança. Jamais deixaremos de lutar por liberdade. Eu faço o que o povo quiser", acrescentou o presidente no vídeo.

    O agora ex-ministro segue sendo investigado no inquérito das fake news, que continuam em andamento no Supremo Tribunal Federal (STF).

    O substituto de Weintraub ainda não foi revelado, mas o nome de Carlos Nadalim, secretário nacional de Alfabetização e seguidor do astrólogo e escritor Olavo de Carvalho, é tido como um dos favoritos ao posto, segundo o jornal Correio Braziliense.

    Mais:

    Embaixada e cônsul de Israel criticam Abraham Weintraub por associar nazismo a operação da PF
    Não é matéria para se debater, diz especialista sobre carta branca a Weintraub
    Weintraub extingue política de cotas para negros e indígenas na pós-graduação
    Tags:
    demissão, Olavo de Carvalho, fake news, Banco Mundial, educação, Ministério da Educação, Abraham Weintraub, Jair Bolsonaro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar