02:51 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    51813
    Nos siga no

    O ministro da Educação, Abraham Weintraub, revogou nesta quinta-feira (18) a portaria que previa a inclusão de negros, pardos, indígenas e pessoas com deficiência em programas de pós-graduação em universidades e institutos federais.

    A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) e passa a valer a partir de hoje.

    A portaria criada em maio de 2016, editada pelo então ministro da Educação, Aloizio Mercadante, determinou que universidades públicas e institutos federais adotassem esses programas para ampliar a "diversidade étnica e cultural" no corpo discente.

    O ato de Weintraub ocorre em meio às especulações sobre sua possível demissão do cargo de ministro da Educação do governo de Jair Bolsonaro, conforme noticiado pelo jornal Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (17).

    Em abril deste ano, Weintraub insinuou em uma rede social que a China poderia se beneficiar, de propósito, da crise mundial causada pelo coronavírus.

    A fala fez com que o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitasse um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinou a abertura de inquérito para apurar suposto crime de racismo cometido pelo ministro da Educação.

    Mais:

    PGR pede ao STF que investigue Weintraub por suposto crime de racismo contra China
    Bolsonaristas mandam recado para opositores do ministro da Educação: 'Não mexam com Weintraub'
    Negros são mais vulneráveis a contrair e morrer pela COVID-19 no Brasil, diz especialista
    'Escória maldita': MP pede apuração de fala de presidente da Fundação Palmares sobre movimento negro
    Em São Paulo, PM é preso acusado de assassinar adolescente negro
    Tags:
    educação, Ministério da Educação, indígenas, jovens negros, negros, cotas, Abraham Weintraub
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar