15:03 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    693
    Nos siga no

    A Procuradoria da República no Distrito Federal (PR/DF) informou neste domingo (14) que pretende investigar o protesto, durante o qual manifestantes lançaram fogos de artifício em direção ao prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), na noite de sábado (13).

    O órgão integra o Ministério Público Federal (MPF) e determinou a abertura de um inquérito policial a ser conduzido pela Polícia Federal (PF). Uma perícia no local foi solicitada para avaliar possível dano ao edifício e para obter eventuais provas, informou Agência Brasil.

    O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, afirmou, também neste domingo (14), que a Corte não se sujeitará a nenhum tipo de ameaça. Em nota, Toffoli classificou o evento como "mais um ataque ao STF".

    Segundo o ministro, o ocorrido no sábado seria um "ataque a todas as instituições democraticamente constituídas". O presidente do STF também afirmou que o Supremo repudia condutas como essa e adotará todos os procedimentos legais para se defender.

    Na noite desse sábado, após a queima dos fogos, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, baixou um decreto e proibiu o trânsito de veículos e pedestres entre as 0h e as 23h59 de hoje na Esplanada dos Ministérios. Outra medida tomada pelo governador foi a exoneração do subcomandante da Polícia Militar, Sérgio Luiz Ferreira de Souza.

    Mais:

    STF proíbe operações em comunidades do Rio de Janeiro durante a pandemia
    Edson Fachin vota pela validade do inquérito das fake news no STF
    Tags:
    Brasil, STF, MPF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar