11:34 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil e COVID-19 em meados de junho (41)
    5196
    Nos siga no

    A organização Rio de Paz, conhecida por fazer atos contra a violência no Rio de Janeiro, faz nesta quinta-feira (11) um protesto na praia de Copacabana para chamar atenção para o grande número de mortes provocadas pela COVID-19.

    No ato, foram feitas 100 covas rasas nas areias da praia, com cruzes e bandeiras do Brasil, para simbolizar os mortos durante a pandemia.

    Durante a tarde um grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro vandalizaram o protesto e derrubaram as cruzes, como mostram vídeos postados nas redes sociais da ONG.

    ​Em uma das filmagens um senhor que usava a máscara no queixo xingava os autores do protesto.

    "O povo está unido contra isso, seus m***as. Fala dos governadores. Agora foi o do Pará", falou, em referência a operação da Polícia Federal desta quarta-feira (10).

    ​Em resposta, um pai que perdeu o filho de 25 anos para o novo coronavírus pedia, para as pessoas que tentavam vandalizar o protesto, que respeitassem a dor das famílias.

    "Só sabe dizer que os outros são comunistas, respeitem as dores das pessoas. Tem que respeitar", dizia, ao colocar de volta as cruzes simbólicas em pé.

    ​Além do protesto, a ONG pede que o governo federal apresente metas e cronogramas para a área de saúde e economia, socorra empresários afetados pela crise econômica e ofereça renda básica emergencial a todos os pobres e desempregados, entre outras demandas.

    Segundo dados do Ministério da Saúde, a pandemia da COVID-19 já deixou 39.680 mortos no Brasil.

    Tema:
    Brasil e COVID-19 em meados de junho (41)

    Mais:

    São Paulo poderá ter 20 mil mortes por COVID-19 até o fim de junho
    Brasil registra 1.274 mortes pela COVID-19 e total de óbitos se aproxima de 40 mil
    COVID-19: Brasil pode ultrapassar EUA em 48 dias e ser o mais mortal do mundo, diz estudo
    Tags:
    novo coronavírus, protesto, Rio de Janeiro, Bolsonaro, vandalismo, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar