03:16 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 42
    Nos siga no

    O embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, afirmou que o aumento do desmatamento da Floresta Amazônica no Brasil está tornando "cada vez mais difícil" a ratificação do acordo comercial entre a União Europeia (UE) e o Mercosul.

    "A posição do governo alemão é que queremos ratificar o acordo. É um acordo muito importante e necessário. Porém, o nosso governo sabe que garantir a maioria no nosso Congresso e no Parlamento Europeu é cada vez mais difícil com as informações sobre o desmatamento crescendo no Brasil", afirmou o diplomata ao portal G1.

    A fala de Witschel veio dois dias depois do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) ter divulgado um aumento expressivo da destruição da Amazônia – entre agosto de 2018 e julho de 2019 foi de 10,1 mil km quadrados, em uma área do tamanho do Líbano –, o que corresponde a um crescimento de 34,4% em relação ao período anterior, entre 2017 e 2018.

    Bastante celebrado no ano passado, o anúncio do acordo entre os dois blocos fará um ano no final de junho, estando bastante distante do que se esperava. Vários países, como França, Bélgica, Holanda e Áustria já deram sinalizações que podem não assinar o documento, que tem que ser ratificado pelos 27 países da UE e pelos quatro do Mercosul.

    A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, conversa com o presidente francês, Emmanuel Macron, durante um encontro de líderes da União Europeia em Bruxelas
    © AP Photo / John Thys, Pool Photo via AP
    A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, conversa com o presidente francês, Emmanuel Macron, durante um encontro de líderes da União Europeia em Bruxelas

    Ao portal, o embaixador alemão reafirmou que a Alemanha é favorável ao acordo, que prevê reduções de barreiras tarifárias e não tarifárias para importações e exportações entre os países dos dois blocos, mas é preciso que o Brasil dê a sua ajuda, e ela deve se demonstrar na redução do desmatamento.

    Witschel já teve debates a respeito da Amazônia junto ao governo do presidente Jair Bolsonaro. O embaixador alemão tentou negociar a manutenção do Fundo Amazônia (mecanismo de repasse de dinheiro para a preservação da floresta que contava com recursos de Noruega, Alemanha e Brasil), porém não houve acordo e os repasses foram suspensos.

    A postura de Bolsonaro e do seu ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, também vem sendo mencionadas nas críticas feitas por autoridades europeias ao resistirem a ratificar o acordo, como ocorreu no Parlamento holandês.

    Mais:

    Região da Bélgica diz ser 'totalmente' contra acordo entre União Europeia e Mercosul
    Como Mercosul e BRICS podem ajudar na recuperação do Brasil pós-pandemia?
    Abismo entre Brasil e Argentina coloca em dúvida própria existência do Mercosul, alerta especialista
    Tags:
    meio ambiente, desmatamento, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Floresta Amazônica, Amazônia, Georg Witschel, Alemanha, Europa, União Europeia, Mercosul, Paraguai, Uruguai, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar