06:19 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 13
    Nos siga no

    Um executivo do mercado financeiro dos Estados Unidos e com conexões com o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, e com o ex-assessor da Casa Branca Steve Bannon, pode ganhar um cargo de confiança no Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

    Com pai brasileiro e mãe norte-americana, Gerald Brant, está cotado para participar dentro do Itamaraty como uma espécie de conselheiro e assessor especial do chanceler Ernesto Araújo, segundo informações publicadas pelo jornal Valor Econômico nesta sexta-feira (5).

    Brant é hoje diretor de uma empresa de investimentos em Wall Street, em Nova York, e possui fortes laços com Bannon, ex-assessor do presidente estadunidense Donald Trump e ainda hoje tido como um dos principais líderes da direita conservadora internacional.

    De acordo com o jornal, foi Brant quem introduziu Bolsonaro aos círculos de investidores internacionais, ainda na época da campanha eleitoral de 2018. Além disso, ele é amigo do filho mais velho do presidente brasileiro há anos.

    Um momento que mostrou a forte proximidade entre Brant, o clã Bolsonaro e Bannon foi o jantar oferecido em março de 2019 ao astrólogo e escritor Olavo de Carvalho, tido como o líder ideológico do bolsonarismo. O evento foi realizado na embaixada brasileira em Washington.

    Mais:

    Bannon detona Mourão e diz que Flávio Bolsonaro é 'vítima do marxismo cultural'
    Banir a Huawei é '10 vezes mais importante' do que acordo com a China, diz Bannon
    Eduardo Bolsonaro se reúne com Steve Bannon e discute situação da Amazônia
    Tags:
    Itamaraty, relações bilaterais, direita conservadora, Ernesto Araújo, Olavo de Carvalho, Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Washington, Estados Unidos, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar