12:21 13 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 130
    Nos siga no

    A Polícia Civil da Bahia prendeu três pessoas na manhã desta segunda-feira (1º) durante uma operação contra uma empresa que vendeu e não entregou respiradores ao Consórcio do Nordeste.

    Além das prisões, a operação Ragnarok cumpriu 15 mandados de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, segundo o portal G1. 

    As prisões foram feitas em Brasília e no Rio de Janeiro. Os presos fazem parte de um grupo especializado em estelionato, aplicando golpes através de fraude na venda de equipamentos hospitalares, segundo informações iniciais da polícia.

    Viatura da Polícia Federal (imagem referencial)
    © Folhapress / Geraldo Bubniak/AGB
    Viatura da Polícia Federal (imagem referencial)

    A operação foi coordenada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia, através da Superintendência de Inteligência, além de contar com a participação da Polícia Civil da Bahia, através da Coordenação de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública, da Polícia Civil de São Paulo, do Distrito Federal e do Ministério Público da Bahia.

    As investigações apontam que a empresa recebeu R$ 48 milhões por um conjunto de respiradores, entretanto o material não foi entregue e o recurso ainda não foi devolvido.

    Além disso, a empresa, que teria mais de 100 contas bancárias vinculadas ao grupo, tentou negociar de forma fraudulenta com outros setores, como os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, ambos em Brasília.

    Mais:

    Brasil tem oficialmente 514.849 casos e 29.314 mortes por COVID-19
    Brasil registra quase 500 mil casos de COVID-19 e 28.834 óbitos
    COVID-19 também afeta o cérebro: quais são as consequências?
    Tags:
    presos, prisão, fraude, polícia, Polícia Civil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar