14:45 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio (63)
    0 30
    Nos siga no

    Gastos com enfrentamento da pandemia, queda de receitas e atividade econômica em queda, segundo o Tesouro Nacional, devem provocar déficit nas contas públicas de R$ 708,7 bilhões.

    O valor corresponde a 9,9% do Produto Interno Bruto (PIB). Este deverá ser o maior déficit primário já registrado pelo setor público consolidado, formado por União, Estados e municípios, segundo o Tesouro Nacional, informou Agência Brasil.

    No mês passado, o Tesouro estimava déficit primário de R$ 600 bilhões. Em 2019, o déficit primário do setor público ficou em R$ 61 bilhões (0,9% do PIB).

    "O déficit do setor público pressupõe que não haja novas frustrações de receitas e renovação dos programas de combate aos efeitos econômicos e sociais da COVID-19, muitos dos quais programados para terminar em junho. Se algum programa for renovado ou se houver novas frustrações de receitas, o déficit primário do setor público passará de 10% do PIB, pressionando ainda mais o crescimento da dívida líquida e bruta", informou o Tesouro, em relatório divulgado nesta quinta-feira (28).

    Segundo o órgão, a dívida pública bruta deverá passar de 75,8% do PIB, em 2019, para mais de 93% do PIB. A dívida líquida do setor público passará de 55,7% para cerca de 68% do PIB.

    Tema:
    Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio (63)

    Mais:

    Instabilidade e falta de liderança podem agravar crise no Brasil, diz economista
    Armínio Fraga, ex-presidente do BC, diz que não é momento de abrir economia no Brasil
    Tags:
    Brasil, COVID-19, economia, PIB
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar