22:32 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio (63)
    1232
    Nos siga no

    O Brasil alcançou a triste marca de 24.512 mortes pelo novo coronavírus, segundo o mais recente balanço do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta terça-feira (26).

    O país registrou nas últimas 24 horas 1.039 óbitos, das quais 284 correspondem aos últimos três dias, enquanto as autoridades brasileiras ainda investigam outras 3.882 mortes.

    Já os casos confirmados alcançaram a marca dos 391.222 – só entre segunda (25) e terça (26) foram adicionados 16.324 novos infectados pela COVID-19 nos 27 estados do país e no Distrito Federal.

    Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, 158.593 pacientes se recuperaram, e 208.117 estão sob acompanhamento médico.

    Com a expansão do contágio, o Brasil continua na segunda posição entre os países com mais casos do novo coronavírus no planeta, atrás apenas dos EUA, que acumulam mais de 1,6 milhão de vítimas infectadas, de acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins.

    Movimentação no Cemitério Parque Nazaré para enterros de COVID-19 (coronavírus) em Belém, no Pará
    © Folhapress / Fotoarena
    Movimentação no Cemitério Parque Nazaré para enterros de COVID-19 (coronavírus) em Belém, no Pará

    Em relação ao número de vítimas fatais no mundo, o Brasil ocupa a sexta colocação, atrás de EUA (98.717), Reino Unido (37.130), Itália (32.955), França (28.533) e Espanha (27.117).

    A COVID-19 já infectou mais de 5,5 milhões de pessoas ao redor do globo, ceifando as vidas de 348 mil pessoas, ainda segundo os dados da Universidade Johns Hopkins. Conforme informou a Organização Mundial da Saúde (OMS), após China, Europa e EUA, a América do Sul é o mais recente epicentro da doença, com destaque negativo para o Brasil.

    O novo coronavírus segue avançando em uma curva ascendente na maior parte dos estados brasileiros, e as falhas no acesso ao atendimento hospitalar adequado e na adoção de medidas eficazes de distanciamento social fizeram um estudo na Universidade de Washington estimar que o Brasil tenha quase 126 mil mortes até o início de agosto, caso tudo siga como está.

    Tema:
    Brasil combatendo pandemia da COVID-19 no fim de maio (63)

    Mais:

    Doria culpa Bolsonaro por baixo isolamento: 'Coronavírus x Bolsonaro vírus, não sei qual é pior'
    Coronavírus poderia 'consumir' 10 anos de vida dos pacientes recuperados, advertem especialistas
    Casa Branca: EUA podem proibir entrada de viajantes do Brasil em função do coronavírus
    Tags:
    Universidade Johns Hopkins, OMS, saúde, novo coronavírus, COVID-19, Ministério da Saúde, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar