22:10 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)
    343
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (20) que o general que atua temporariamente como ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, continuará nessa posição por um longo tempo.

    "Ele [Pazuello] ficará [no cargo] por um longo tempo, quem estiver lá não mudará. Ele é um bom gerente, ele terá uma boa equipe de médicos por baixo", relatou o presidente em conversa com os apoiadores.

    O general, que nas últimas semanas era o número dois no ministério, assumiu o cargo provisoriamente na semana passada após a renúncia do ministro Nelson Teich. Bolsonaro deu a entender que não tem pressa para escolher um substituto definitivo.

    Sob a supervisão de Pazuello, que não tem experiência médica, o Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (20) um protocolo que recomenda o uso de cloroquina mesmo em pacientes leves com COVID-19.

    Tanto Teich quanto o seu antecessor, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, que renunciou em abril, deixaram o cargo por causa de diferenças com Bolsonaro ao enfrentar a pandemia.

    O presidente brasileiro rejeita medidas de isolamento social para conter a propagação do vírus, defendendo a volta ao trabalho de boa parte da população, e faz uma defesa incondicional da cloroquina, apesar de sua eficácia não comprovada.

    Tema:
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)

    Mais:

    Doria culpa Bolsonaro por baixo isolamento: 'Coronavírus x Bolsonaro vírus, não sei qual é pior'
    Analista: Bolsonaro usa apoio econômico como barganha para flexibilizar isolamento
    Lula defende impeachment de Bolsonaro e diz que não pretende concorrer às eleições de 2022
    Tags:
    pandemia, distanciamento, isolamento, Ministério da Saúde, OMS, COVID-19, novo coronavírus, saúde, Jair Bolsonaro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar