21:42 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)
    251
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (19), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou um estudo que aponta que o Brasil tem 5,1 milhões de domicílios em condições precárias.

    Segundo o estudo publicado pelo IBGE, os domicílios estão em 734 municípios do país, onde foram identificadas mais de 13,1 mil zonas chamadas de Aglomerados Subnormais, áreas como favelas e palafitas.

    Essas áreas são caracterizadas pelo IBGE por possuírem padrão urbanístico irregular, carência de serviços públicos essenciais e localização em áreas que apresentam restrições à ocupação. Entre os critérios do IBGE para identificar as áreas, foram considerados ausências do título de propriedade dos imóveis e também outras categorias como a restrição de ocupação do solo.

    O levantamento identificou ainda que o número de Aglomerados Subnormais mais que dobrou desde o Censo de 2010. Segundo o IBGE, em 2010 havia cerca de 6,3 mil áreas precárias em 323 municípios no país. No total eram cerca de 3,2 milhões de domicílios.

    Mulher usando máscara na Rocinha, Rio de Janeiro, durante pandemia de coronavírus.
    © REUTERS / Ricardo Moraes
    Mulher usando máscara na Rocinha, Rio de Janeiro, durante pandemia de coronavírus.

    O estudo fazia parte do Censo Demográfico 2020, suspenso devido à pandemia do novo coronavírus. No entanto, o IBGE divulgou os resultados do levantamento para auxiliar o poder público na elaboração de políticas de combate à pandemia da COVID-19.

    Nesse sentido, o IBGE identificou a distância dos aglomerados em relação a unidades de atenção primária de saúde. O estudo aponta que 41,02% dessas áreas estão a uma distância de até 500 metros de um desses serviços de saúde de atenção primária. Já em relação às unidades de saúde com suporte para observação e internação, a distância mais presente, entre um quilômetro e dois quilômetros, é a situação de 36,26% das áreas observadas.

    No geral, 64,93% das áreas dos aglomerados têm hospitais a menos de dois quilômetros de distância e 79,53% ficam a menos de um quilômetro de unidades básicas de saúde. 

    Segundo a atualização mais recente do Ministério da Saúde, o Brasil tem 254.220 casos confirmados da COVID-19 e 16.792 mortes causadas pela doença.

    Tema:
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)

    Mais:

    Com Estado 'ausente', favelas se organizam contra COVID-19, violência e desinformação
    Abstinência sexual: 'guerra santa' de Damares, sombra dos EUA e gravidez na favela
    Brasil é o 3º país com mais casos de coronavírus em todo o mundo
    Tags:
    novo coronavírus, IBGE, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar