19:48 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)
    183
    Nos siga no

    Na tarde desta sexta-feira (15), o ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, fez um breve pronunciamento em Brasília após ser anunciada sua saída do Ministério da Saúde.

    Teich pediu demissão do cargo na manhã desta sexta-feira (15). Durante a coletiva, o ex-ministro elencou feitos de seu trabalho durante o período de quase um mês no qual esteve à frente do Ministério da Saúde e afirmou:

    "A vida é feita de escolhas e hoje escolhi sair", disse.

    Sem explicar as razões que o fizeram deixar o cargo, o ex-ministro agradeceu o convite do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, para liderar o Ministério e reforçou que teve a carreira marcada pelo trabalho junto ao serviço público. Teich afirmou ainda que deixa um programa de testagem de casos de COVID-19 pronto para ser implementado pela próxima gestão do Ministério.

    "Eu não aceitei o convite pelo cargo, eu aceitei porque achei que poderia ajudar o Brasil e as pessoas", afirmou.

    O agora ex-ministro passou por constrangimentos e divergências recentes com o presidente brasileiro, envolvendo um decreto presidencial autorizando mais atividades essenciais - sobre o qual o ministro descobriu através da imprensa durante uma coletiva - e em relação ao uso da cloroquina como medicamento no tratamento da COVID-19.

    ​Bolsonaro defende o uso do medicamento, enquanto Teich já sustentou que a cloroquina não tem eficácia comprovada.

    Nelson Teich (à esq.), cumprimenta o ex-ministro da pasta, Luiz Henrique Mandetta
    © AP Photo / Andre Borges
    Nelson Teich (à esq.), cumprimenta o ex-ministro da pasta, Luiz Henrique Mandetta

    Teich assumiu o Ministério da Saúde no dia 16 de abril, logo após a demissão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, que teve conflitos públicos com Bolsonaro acerca de medidas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) criticadas pelo presidente, como o isolamento social.

    Ainda não há substituto para Teich na liderança do Ministério da Saúde. Por ora, o general Eduardo Pazuello assume o cargo de forma interina. O general atuava desde 22 de abril no Ministério como secretário-executivo da Saúde, após indicação de Bolsonaro.

    Tema:
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)

    Mais:

    COVID-19 se agrava, mas Bolsonaro inclui academias e barbearias como serviços essenciais
    Oficial: Mandetta é demitido do Ministério da Saúde por Bolsonaro; Teich é o substituto
    Defendida por Trump e Bolsonaro, cloroquina não funciona para coronavírus, diz estudo dos EUA
    Canadá emite alerta sobre uso de cloroquina como tratamento para coronavírus
    IBGE: desemprego sobe em todas as regiões do Brasil no 1º trimestre de 2020
    Tags:
    COVID-19, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar