20:54 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)
    251
    Nos siga no

    Nesta sexta-feira (15), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou novos dados sobre o desemprego no Brasil.

    Segundo o relatório da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do IBGE, o desemprego no primeiro trimestre de 2020 subiu em todas as regiões brasileiras em relação ao primeiro trimestre de 2019.

    A região Nordeste foi a mais impactada, saindo de 13,6% de desempregados no primeiro trimestre de 2019 para 15,6% neste ano. No Sudeste, a taxa subiu de 11,4% para 12,4% no mesmo período. Na região Norte, foi de 10,6% para 11,9%. No Centro-Oeste, foi de 9,3% para 10,6%. Já na região Sul, foi de 6,8% para 7,5%.

    A taxa geral de desemprego no país subiu de 11%, em 2019, para 12,2% neste ano. A taxa equivale a 12,850 milhões de pessoas.

    Os dados estratificados mostram que o desemprego é maior entre pretos e pardos - negros - do que entre brancos. Entre pretos, a taxa ficou em 15,2% e entre pardos, em 14%. Já entre os brancos, a taxa ficou em 9,8%.

    As mulheres também são mais impactadas pelo desemprego. A taxa de desemprego entre homens ficou em 10,4% e entre mulheres, em 14,5%.

    O levantamento também especifica que 12 estados brasileiros apresentaram alta no desemprego. Os estados com a maior taxa de desemprego são a Bahia com 18,7%, o Amapá com 17,2%, Roraima com 16,5%, Alagoas com 16,5% e o Maranhão com 16,1%.

    O período acompanha o início da pandemia da COVID-19 no Brasil, cujo primeiro caso foi registrado em 25 de fevereiro. A pandemia levou a medidas restritivas como o fechamento do comércio e a recomendação de isolamento social, gerando impactos na economia.

    Tema:
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)

    Mais:

    Médico aponta motivos para Brasil se tornar epicentro da pandemia de COVID-19
    Brasil tem mais 844 mortes pela COVID-19 e óbitos chegam a quase 14 mil
    Teich pede exoneração do Ministério da Saúde
    Tags:
    COVID-19, IBGE, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar