14:28 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    182
    Nos siga no

    O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta terça-feira (12) conceder prazo de 48 horas para receber manifestações sobre a retirada do sigilo do registro audiovisual da reunião no Palácio do Planalto, realizada no dia 22 de abril.

    O encontro foi citado pelo ex-ministro Sergio Moro em depoimento prestado à Polícia Federal (PF) no início do mês. As informações foram publicadas pelo portal G1.

    Com a decisão, a Procuradoria-Geral da República (PGR), a Advocacia-Geral da União (AGU) e a defesa de Moro deverão dizer se são a favor da manutenção do sigilo ou da divulgação total ou parcial da gravação.

    A decisão foi tomada pelo ministro após a PF exibir, nesta manhã, o vídeo somente para os envolvidos na investigação, que apura a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na corporação.

    Estiveram presentes representantes da PGR, os delegados responsáveis pela investigação, a AGU, representando o presidente, o ex-ministro Moro e seus advogados, além de um juiz auxiliar do ministro.

    Mais:

    Instagram bloqueia post de Bolsonaro por espalhar conteúdo falso sobre a COVID-19
    Em vídeo, Bolsonaro teria defendido mudança na PF para proteger sua família
    Bolsonaro entrega resultados dos testes de coronavírus ao STF
    Tags:
    Sergio Moro, Jair Bolsonaro, Celso de Mello, Supremo Tribunal Federal (STF), STF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar