15:58 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil no combate ao coronavírus no início de maio (66)
    2223
    Nos siga no

    O Brasil se aproxima das 10 mil mortes pelo novo coronavírus após registrar o recorde negativo de 751 mortes nas últimas 24 horas, segundo o mais recente balanço divulgado nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Saúde.

    As vítimas fatais no país já são 9.897, e a marca de 751 vítimas fatais é a maior desde o início da coleta dos números da COVID-19 em solo brasileiro. Nos três dias anteriores, o saldo já oscilava acima das 600 vítimas fatais diárias.

    Em outra frente, o número de casos alcançou os 145.328 – um acréscimo de 10.222 em relação ao levantamento anterior, divulgado pela pasta na quinta-feira (7).

    Segundo já informou o Ministério da Saúde, o número de mortes registradas nas últimas 24 horas não significa necessariamente quantas pessoas perderam a vida entre um dia ou outro, mas sim a quantidade de óbitos cuja causa confirmada foi o novo coronavírus. Assim, a contagem pode conter mortes ocorridas em outras datas, porém que não tinham diagnóstico.

    Homem chora a morte de avó de 71 anos, vítima da COVID-19, no cemitério Nossa Senhora, em Manaus (AM), 6 de maio de 2020
    © REUTERS / Michael Dantas
    Homem chora a morte de avó de 71 anos, vítima da COVID-19, no cemitério Nossa Senhora, em Manaus (AM), 6 de maio de 2020

    Entre os estados, a situação segue mais grave em São Paulo, com 3.416 óbitos e 41.830 casos confirmados. Em seguida, vêm Rio de Janeiro (1.503 óbitos, 15.741 casos), Ceará (966 óbitos, 14.956 casos), Pernambuco (927 óbitos, 11.587 casos) e Amazonas (874 óbitos, 10.727 casos).

    De acordo com especialistas, a falta de políticas públicas integradas, a baixa testagem e a alta subnotificação de casos no Brasil indicam que o número de casos e de óbitos por COVID-19 é muito maior do que apontam os dados oficiais do ministério.

    De acordo com um trabalho do Grupo de Resposta à COVID-19 do Imperial College de Londres, divulgado nesta sexta-feira, ao menos 4,2 milhões de pessoas já foram contaminadas pelo novo coronavírus no Brasil.

    Com adesão social abaixo do recomendado por organismos nacionais e internacionais, algumas capitais já começaram a ampliar a quarentena ou aderir ao chamado "lockdown", que é um isolamento social mais forte, com uma série de ações para dificultar a mobilidade social, em moldes que lembram medidas adotadas em um passado recente na Itália e na Espanha.

    Tema:
    Brasil no combate ao coronavírus no início de maio (66)

    Mais:

    Poucos moradores de rua têm COVID-19 no Brasil, pois ninguém pega na mão deles, diz Damares
    'Queridinha' de Trump e Bolsonaro, hidroxicloroquina não tem eficácia contra COVID-19, diz estudo
    OMS afirma que infectar voluntários pode ser decisivo para desenvolver vacinas contra COVID-19
    Tags:
    distanciamento, isolamento, quarentena, saúde, novo coronavírus, COVID-19, Ministério da Saúde, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar