14:39 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil no combate ao coronavírus no início de maio (66)
    372
    Nos siga no

    Funcionários do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, que é considerado referência para tratamendo da COVID-19 no município do Rio, afirmaram que pessoas morreram na UTI no último domingo (3) por falta de medicamentos.

    A denúncia feita por médicos que realizaram plantão no último domingo (3) levou a Defensoria Pública e prefeitura a abrirem uma investigação.

    "Faltaram medicamentos como Midazolam, Nora [noradrenalina], Fentanil. E, por conta disso, pacientes foram a óbito", disse um enfermeiro do hospital, citado pela reportagem do Jornal Nacional.

    "Não está tendo medicação. Midazolam, Fentanil, né. E aí a gente tem que ficar se virando, tem que ficar falando, tem que ficar pedindo", declarou outra enfermeira.

    A morte de seis pessoas por falta destes medicamentos foi confirmada por quatro funcionários e um dos diretores do hospital que não quiseram se identificar à reportagem.

    Já o membro do gabinete de crise da prefeitura, Alexandre Campos, disse que medicamentos do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla foram retirados para serem levados para o hospital de campanha da prefeitura no Riocentro, que foi inaugurado na sexta-feira (1º).

    "Não faltou medicamento dentro do Hospital Ronaldo Gazolla, havia opções, como há hoje. Os estoques de medicamentos estão todos muito restritos e nós estamos fazendo sindicâncias que irão apurar exatamente as condições em que isso ocorreu. Se isso ocorreu. Assim que as sindicâncias concluírem algo, as responsabilidades vão ser tomadas", declarou Alexandre Campos.

    Tema:
    Brasil no combate ao coronavírus no início de maio (66)

    Mais:

    Brasil registra 296 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas
    Ministro da Saúde vai a Manaus para visitar hospitais em meio à crise da COVID-19
    Compositor e escritor Aldir Blanc morre aos 73 anos de COVID-19
    Tags:
    remédio, hospital, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar