14:37 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil no combate ao coronavírus no início de maio (66)
    5413
    Nos siga no

    Desembargadora do Tribunal Regional da 3ª Região (TRF-3) suspendeu ordem determinando que o presidente Jair Bolsonaro entregasse seus exames para COVID-19 neste sábado (2). 

    Monica Nobre, que atuou durante plantão, deu mais cinco dias para que o caso seja analisado. A ação retornará para o relator original do processo, desembargador Carlos Muta, dar seu parecer sobre a entrega ou não dos resultados. 

    O TRF-3 atendeu pedido da Advocacia-Geral da União (AGU). Na quinta-feira (30), a juíza federal Ana Lúcia Petri Betto, da 14ª Vara Cível Federal de São Paulo, determinou que a AGU fornecesse todos os exames feitos por Bolsonaro para a COVID-19 em 48 horas, prazo que se encerrava hoje. 

    A partir de ação movida pelo jornal O Estado de S.Paulo pedindo acesso aos testes para coronavírus feitos pelo presidente, a magistrada havia ordenado que a Advocacia-Geral da União entregasse relatório com os laudos.

    Governo entregou relatório sem exames

    No dia 30, a Justiça de São Paulo recebeu relatório médico de 18 de março entregue pela AGU, o qual diz que o presidente se encontra "assintomático" e testou negativo para a COVID-19 em exames. Os laudos dos testes, no entanto, não foram anexados, por isso a juíza considerou o material insuficiente e deu o novo prazo. 

    Em seu pedido feito ao TRF-3, a AGU argumenta que "a própria Lei de Acesso à Informação, utilizada como fundamento para pedir os laudos, é expressa em estabelecer que a utilização de informações pessoais deve respeitar a intimidade e a privacidade e depende do consentimento do interessado", segundo publicado pelo portal G1. 

    De acordo com a AGU, o respeito à intimidade e à privacidade são cláusulas pétreas da Constituição, e o fato de Bolsonaro ser presidente da República não significa que isso possa ser desrespeitado. 

    Em sua decisão, a desembargadora afirmou que tanto o governo quanto o jornal possuem argumentos "sustentáveis". 

    'Talvez já tenha pegado'

    Após Bolsonaro viajar para os Estados Unidos no início de março e vários integrantes da comitiva presidencial terem contraído o vírus, o governo divulgou que os testes realizados por ele deram negativos. Os laudos dos exames, no entanto, nunca foram apresentados. 

    Por várias vezes desde o início da epidemia no Brasil, Bolsonaro se encontrou com apoiadores, cumprimentando pessoas e fazendo selfies. 

    Em entrevista para a Rádio Guaíba concedida na quinta-feira, Bolsonaro admitiu, pela primeira vez, que possa ter sido infectado. 

    "Eu talvez já tenha pegado esse vírus no passado. Talvez, talvez, e nem senti", afirmou.

    Tema:
    Brasil no combate ao coronavírus no início de maio (66)

    Mais:

    França deve impor quarentena obrigatória a qualquer pessoa que chegar de viagem ao país
    Moro chega à PF para prestar depoimento sobre acusações contra Bolsonaro
    Manifestantes a favor de Bolsonaro e Moro se aglomeram em frente à PF, em Curitiba
    Tags:
    teste, AGU, presidência, doença, juiz, desembargador, Jair Bolsonaro, justiça, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar