15:50 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    6148
    Nos siga no

    Neste sábado (2), o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, foi às redes sociais para atacar o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

    Na postagem em sua conta no Twitter, o presidente acusa Moro de ser "Judas" - o personagem que trai Jesus na Bíblia - ao lembrar que o ex-ministro dará ainda neste sábado um depoimento à Polícia Federal.

    Moro, que deixou o Ministério fazendo acusações contra o presidente, promete apresentar provas de que Bolsonaro tentou interferir politicamente na Polícia Federal.

    A postagem de Bolsonaro também sugere que Moro e a Polícia Federal nada fizeram para investigar a tentativa de assassinato sofrida pelo então candidato à Presidência pelo PSL durante a campanha eleitoral, em 2018. Para sustentar a acusação, Bolsonaro posta um vídeo com uma análise caseira e não profissional de um vídeo, sugerindo que Adélio Bispo de Oliveira, o autor da facada, não agiu sozinho.

    ​A possibilidade de que a tentativa de assassinato tenha tido participação de terceiros segue sob investigação em um inquérito da Polícia Federal e está em fase final de conclusão. A perícia da Polícia Federal jamais encontrou indícios de outros participantes no crime, tendo feito análise de milhares de conteúdos.

    Segundo publicou o portal G1, um relatório parcial da investigação deve ser enviado à Justiça nos próximos dias.

    Adélio foi preso em flagrante ainda no local do crime, em Juiz de Fora. Em junho de 2019, Bispo foi considerado inimputável e teve determinada sua internação por tempo indefinido. Já em março de 2020, o agressor foi transferido para o Hospital Psiquiátrico de Custódia Jorge Vaz, em Barbacena, Minas Gerais.

    Mais:

    STF abre inquérito para investigar acusações de Moro contra Bolsonaro
    PF tem 5 dias para ouvir Moro sobre denúncias contra Bolsonaro, decide STF
    'Não sou mentiroso': Moro diz em entrevista que vai provar acusações contra Bolsonaro
    Tags:
    Polícia Federal, Ministério da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, Adélio Bispo, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar