11:47 25 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    110
    Nos siga no

    A mineradora Vale iniciou nesta quinta-feira (30), de modo preventivo, o protocolo de emergência em nível 1 da barragem de contenção de sedimentos Taquaras, da Mina Mar Azul, em Nova Lima (MG).

    Segundo a empresa, o protocolo não contempla a evacuação da população que mora nas proximidades da barragem na Zona de Auto Salvamento (ZAS), informou Agência Brasil.

    Em fevereiro de 2019, segundo a Vale, a ZAS foi evacuada após o acionamento do nível 2 do protocolo de emergência da barragem B3/B4, também da Mina Mar Azul, onde fica a montante, ou seja, em direção à nascente da barragem Taquaras.

    O início do protocolo na barragem Taquaras de forma preventiva, segundo a empresa, reflete a etapa adicional de avaliação das estruturas da Vale após a implementação, em janeiro deste ano, da função de Engenheiro de Registro (EoR). A prática é recomendada pela Associação de Mineração do Canadá (MAC) e pelo Associação Canadense de Barragens (CDA).

    A empresa afirma, desse modo, conferir "maior confiabilidade e qualidade ao processo de acompanhamento e revisão de segurança das barragens, que passa a ser contínuo".

    "A decisão de mudança de nível está associada a identificação de anomalia no talude de montante da barragem observada durante inspeção de rotina. A barragem Taquaras teve sua Declaração de Condição de Estabilidade [DCE] emitida em 31 de março de 2020. Entretanto, a partir deste fato novo observado, a DCE se tornará negativa", informou a Vale.

    A empresa acrescentou que, desde outubro de 2018, a Mina Mar Azul é um ativo que não faz parte da cadeia de produção da companhia. Portanto, a decisão não impacta a expectativa de produção de minério de ferro para 2020, de 310-330 milhões de toneladas.

    Mais:

    Barragem da Vale próxima de Brumadinho tem rachaduras
    Gigante siderúrgica chinesa fecha 1º contrato de minério de ferro com Vale em yuan
    Tags:
    barragem, Vale, Minas Gerais
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar