23:56 13 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo coronavírus no fim de abril (64)
    18150
    Nos siga no

    O fechamento de fábricas de processamento de carne nos Estados Unidos devido à pandemia pode abrir uma janela de oportunidades para a indústria brasileira. Sobre isso, a Sputnik Brasil ouviu um representante do setor, que acredita que a indústria brasileira pode suprir parte da demanda norte-americana.

    Nos EUA, a indústria e o governo discutem o sacrifício de milhares de animais devido ao fechamento de diversas fábricas de processamento de carnes no país. A paralisação acompanha a crise econômica deflagrada nos EUA junto com a pandemia do novo coronavírus.

    Francisco Turra, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), afirma estar espantado com as notícias que vêm dos EUA, e acredita que a indústria brasileira mostrou poder de "organização" no atual momento.

    "Isto já demonstra que nós tivemos uma organização muito mais eficiente para enfrentar pelo menos o início do novo coronavírus, que é terrível, e estamos aí em pânico, todos, porque é uma surpresa a cada a dia, a cada hora", relata o empresário em entrevista à Sputnik Brasil.

    Turra acredita que o Brasil tem condições de ampliar suas exportações para mercados externos no contexto da paralisação de frigoríficos dos EUA que leva à redução de oferta do produto norte-americano.
    "Nós temos um excedente exportável bem significativo para ampliar gradativamente as exportações, principalmente de carne suína, mas também de aves para a China, em decorrência da queda da demanda no mercado interno [chinês]", afirma.

    Presidente dos EUA, Donald Trump, durante sua conferência de imprensa diária sobre o novo coronavírus, na Casa Branca em Washington, 27 de abril de 2020
    © REUTERS / Carlos Barria
    Presidente dos EUA, Donald Trump, durante sua conferência de imprensa diária sobre o novo coronavírus, na Casa Branca em Washington, 27 de abril de 2020

    O produtor explica também que apesar de o Brasil ser um dos maiores produtores de carne suína do mundo, o rebanho brasileiro ainda é reduzido em comparação com o dos EUA. Em um dia, os frigoríficos nos EUA chegam a abater 510 mil porcos.

    "O Brasil é o quarto maior produtor de suínos do mundo, mas para dar uma ideia nós temos ao redor de um terço do rebanho dos EUA e a disponibilidade para exportação não chega a 1 milhão de toneladas", aponta.

    O presidente da ABA conclui que o Brasil tem um excedente de produto neste momento e pode suprir em partes a reduzida oferta norte-americana nos mercados externos, de forma a beneficiar o produtor interno brasileiro em um momento de queda da demanda doméstica.

    "O Brasil nesse momento tem um excedente que seria muito interessante para desovar um pouco o produto que, às vezes aqui no mercado interno, em decorrência da queda da demanda, pode efetivamente acontecer. Mas, em não acontecendo, certamente haverá uma redução natural da produção", conclui.
    Tema:
    Brasil combatendo coronavírus no fim de abril (64)

    Mais:

    Desemprego nos EUA pode atingir níveis da crise de 1929, diz funcionário da Casa Branca
    Economia dos EUA terá declínio 'sem precedentes' no 2º trimestre, diz presidente do Fed
    Demanda externa pontual e competição com a China preocupam exportadores no Brasil, diz empresário
    Tags:
    Brasil, Donald Trump, EUA, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar