05:29 25 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil combatendo coronavírus no fim de abril (64)
    13118
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro compareceu e discursou em ato no último domingo (19) que pedia a intervenção militar. Hoje (20), o presidente defendeu o "respeito à Constituição".

    Ao falar com jornalistas nesta segunda-feira (20), Bolsonaro afirmou que a pauta da manifestação que participou no último domingo (19) era a volta ao trabalho, defendendo o relaxamento do isolamento social para combater o coronavírus.

    "Sem essa conversa de fechar. Aqui não tem que fechar nada, dá licença aí. Aqui é democracia, aqui é respeito à Constituição brasileira. E aqui é minha casa, é a tua casa. Então, peço por favor que não se fale isso aqui. Supremo aberto, transparente. Congresso aberto, transparente", afirmou Bolsonaro.

    De acordo com ele, a parcela da manifestação que pedia o fechamento do Congresso e do STF, bem como os dizeres de apoio ao "AI-5", era composta por "inflitrados".

    "Em todo e qualquer movimento tem infiltrado, tem gente que tem a sua liberdade de expressão. Respeite a liberdade de expressão. Pegue o meu discurso, dá dois minutos, não falei nada contra qualquer outro poder, muito pelo contrário", alegou o presidente. 

    "Queremos voltar ao trabalho, o povo quer isso. Estavam lá saudando o Exército brasileiro. É isso, mais nada. Fora isso, é invencionice, é tentativa de incendiar uma nação que ainda está dentro da normalidade", acrescentou Bolsonaro.

    Tema:
    Brasil combatendo coronavírus no fim de abril (64)

    Mais:

    Bolsonaro discursa para multidão em frente ao quartel-general do Exército em Brasília (VÍDEO)
    Por carta, 20 governadores apoiam Maia e Alcolumbre diante de críticas de Bolsonaro
    Twitter é petista? Bolsonaristas lançam hashtag para driblar 'sumiço' de adoração a presidente
    Tags:
    manifestação, Jair Bolsonaro, Congresso, Supremo Tribunal Federal (STF), COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar