00:11 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil lidando com COVID-19 em meados de abril de 2020 (77)
    5125
    Nos siga no

    A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira (14) para abrir um inquérito de investigação para apurar suposto crime de racismo contra chineses cometido pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

    O pedido foi feito pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, a partir de representações protocoladas contra Weintraub pelo PSOL e por um cidadão comum.

    Medeiros viu indícios de racismo em uma postagem feita por Weintraub e solicita abertura de inquérito para que haja diligências e explicações por parte do ministro. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

    No início do mês, Weintraub insinuou que a China poderia se beneficiar, propositalmente, da crise mundial causada pela COVID-19.

    O ministro apagou o texto depois da repercussão negativa. Weintraub usou o personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, e trocou a letra "r" por "l", fazendo piada com o sotaque que muitos chineses têm ao falar português.

    "Geopoliticamente, quem podeLá saiL foLtalecido, em teLmos Lelativos, dessa cLise mundial? PodeLia seL o Cebolinha? Quem são os aliados no BLasil do plano infalível do Cebolinha paLa dominaL o mundo? SeLia o Cascão ou há mais amiguinhos?", escreveu o ministro.

    Segundo a legislação brasileira, praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, tem pena prevista de 1 a 3 anos de prisão e multa.

    Na época, a embaixada chinesa no Brasil, divulgou uma resposta repudiando a fala do ministro e cobrou uma declaração oficial do governo sobre a fala de Weintraub.

    Em março, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, escreveu que a "culpa" pela pandemia de COVID-19 era da China.

    Tema:
    Brasil lidando com COVID-19 em meados de abril de 2020 (77)

    Mais:

    Eduardo Bolsonaro deveria pedir desculpas explícitas à China, diz especialista
    China aponta 'racismo' de Weintraub e critica declarações 'desprezíveis' no Twitter
    Mandetta atua com embaixador chinês por equipamentos após ataques de Weintraub e filho de Bolsonaro
    Diplomata ataca E. Bolsonaro e Weintraub: relação Brasil-China não será abalada por 'irresponsáveis'
    Tags:
    racismo, Supremo Tribunal Federal (STF), Procuradoria-Geral da República (PGR), Brasil, China, Abraham Weintraub, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar