17:06 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2020 (99)
    19354
    Nos siga no

    O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, concedeu uma entrevista coletiva na noite desta segunda-feira (6) e disse que vai permanecer no cargo.

    O ministro disse que a reunião com o presidente Jair Bolsonaro serviu para o governo "se reposicionar" e que auxiliares já estavam "limpando as gavetas".

    "Tinha gente aqui dentro limpando gaveta, pegando as coisas. Minhas gavetas, vocês ajudaram a fazer a limpeza das minhas gavetas. Nós vamos continuar porque, continuando, a gente vai enfrentar o nosso inimigo. O nosso inimigo tem nome e sobrenome: é a COVID-19", disse Mandetta.

    Mandetta voltou a falar que "médico não abandona paciente".

    "Médico não abandona paciente. Eu não vou abandonar", declarou.

    ​O ministro da Saúde pontuou, no entanto, que determinadas críticas prejudicam o trabalho da pasta.

    "Não temos receio de crítica. A crítica construtiva enobrece e nos faz rever e dar um passo à frente. Gostamos da crítica construtiva. O que temos diferente é quando, em determinadas situações ou determinadas impressões, as críticas não vêm no sentido de construir, mas para trazer dificuldade no ambiente de trabalho", afirmou.

    Mais cedo, o jornal O Globo publicou uma reportagem dizendo que o presidente Jair Bolsonaro tinha decidido nesta segunda-feira demitir Mandetta do cargo de ministro de Saúde.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2020 (99)

    Mais:

    Moro e Guedes se unem a Mandetta contra Bolsonaro, diz jornal
    'Ele não tem coragem de tirar o ministro', diz Maia sobre possível demissão de Mandetta
    Brasil tem mais de 12 mil casos de coronavírus, informa Ministério da Saúde
    Tags:
    Brasil, novo coronavírus, COVID-19, Ministério da Saúde, saúde pública, Ministro da Saúde
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar