04:02 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    126
    Nos siga no

    Um líder indígena que lutava para proteger suas terras na Amazônia brasileira foi morto a tiros, disseram autoridades e ativistas nesta quarta-feira (1).

    Zezico Guajajara, professor e ativista do estado do nordeste do Maranhão, foi morto a tiros na terça-feira em circunstâncias que ainda estão sendo investigadas, informa a agência de notícias AFP.

    Ele era membro de um grupo chamado "Os Guardiões", organização que luta para defender a maior floresta tropical do mundo da extração ilegal de madeira.

    Outro líder do grupo, Paulo Paulino Guajajara, foi assassinado na mesma região há cinco meses. Ao todo, pelo menos cinco membros da etnia Guajajara foram assassinados desde novembro, segundo ativistas.

    "Os Guardiões foram impiedosamente alvejados por poderosas máfias madeireiras que exploram ilegalmente as valiosas madeiras no território indígena de Arariboia, lar dos povos indígenas Guajajara e membros isolados da tribo Awa", disse o grupo de direitos indígenas Survival International.

    O grupo também criticou o presidente Jair Bolsonaro e seus planos de autorizar atividades comerciais em territórios indígenas e afirmou que essa medida "encoraja" grupos que invadem a Amazônia. 

    Mais:

    Bolsonaro posta vídeo falso culpando governadores por escassez e depois o apaga
    Prefeito da maior cidade do Brasil avisa: 'Se seguir Bolsonaro, SP vai explodir igual em Milão'
    'População não pode esperar': Maia cobra de Bolsonaro liberação rápida da renda emergencial (VÍDEO)
    Congresso ganha 'protagonismo' frente a Bolsonaro durante crise, diz analista
    Sociedade precisa pressionar para Maia aceitar impeachment de Bolsonaro, diz deputado do PSOL
    Tags:
    povos indígenas, Amazônia, liderança
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar