20:27 09 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)
    12188
    Nos siga no

    O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro na noite desta terça-feira gerou fortes reações de políticos e governadores, sobretudo pelo fato do mandatário defender medidas contrárias ao que especialistas pregam no combate ao novo coronavírus.

    Um dos primeiros a se pronunciar foi o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, adversário político de Bolsonaro e alvo de críticas recentes do presidente.

    O governador fluminense lamentou as declarações de Bolsonaro que, entre outras coisas, pediu o fim do confinamento em massa e a normalização do transporte coletivo, classificando a COVID-19 como uma "gripezinha".

    "A manifestação em cadeia de rádio e televisão do presidente da República contraria as determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nós continuaremos firmes, seguindo as orientações médicas, preservando vidas. Eu peço a você, por favor, fique em casa", declarou Witzel.

    Outro governador que repudiou as palavras de Bolsonaro foi o governador do Maranhão, Flávio Dino. Para ele, "há poucas esperanças" de que o presidente "possa exercer com responsabilidade e eficiência" o cargo.

    No Distrito Federal, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, considerou "equivocado" o pronunciamento do mandatário brasileiro.

    Outro político a se pronunciar logo depois ao pronunciamento de Bolsonaro foi o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre. O senador considerou, em nota conjunta assinada com o vice-presidente do Senado Antônio Anastasia, "grave" a posição do presidente.

    Líder da oposição no Senado, o senador Randolfe Rodrigues demonstrou revolta com as palavras do chefe do Executivo brasileiro, que estaria entregando "o povo ao caos".

    Contudo, houve também quem aprovasse o pronunciamento de Bolsonaro, como líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo.

    Tema:
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)

    Mais:

    OMS afirma que os EUA podem se tornar epicentro da pandemia do coronavírus
    Hospital que examinou Bolsonaro omite nomes de testes positivos de coronavírus
    Número de casos de coronavírus confirmados no Brasil passa de 2 mil
    Tags:
    saúde, OMS, COVID-19, coronavírus chinês, novo coronavírus, Câmara dos Deputados, Senado Federal, Randolfe Rodrigues, Antônio Anastasia, Davi Alcolumbre, Rodrigo Maia, Wilson Witzel, Jair Bolsonaro, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar