04:30 29 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)
    203816
    Nos siga no

    O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), sugeriu na semana passada que a culpa da pandemia do novo coronavírus seria da China. A declaração provocou uma forte reação da embaixada da China no Brasil e causou uma crise diplomática entre os dois países.

    O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, escreveu que as palavras do filho do presidente são "um insulto maléfico contra a China e o povo chinês" e que a "atitude flagrante anti-China não condiz com o seu estatuto como deputado federal nem [com] a sua qualidade como uma figura pública especial".

    O ministro de Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, entrou na jogada e chegou a exigir desculpas do embaixador chinês por, segundo o chanceler, ofender o presidente Bolsonaro.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, Evandro Menezes de Carvalho, coordenador do Núcleo de Estudos Brasil-China da Fundação Getúlio Vargas (FGV), disse que o ideal seria Eduardo Bolsonaro pedir desculpas explícitas à China.

    "Eu acredito que seria suficiente na medida em que isso iria colocar um fim nesse mal-estar iniciado pelo próprio Eduardo Bolsonaro. Nesse momento ele deveria reconhecer que iniciou essa crise diplomática desnecessária e poderia, através de um pedido de desculpas mais explícito, visando o bem das relações bilaterais, pôr um fim definitivo a esse problema diplomático", afirmou.

    Eduardo Bolsonaro se retratou, disse que não ofendeu o povo chinês e disse que "tal interpretação é totalmente descabida", mas não fez um pedido de desculpas explícito por ter culpado a China pela pandemia do novo coronavírus.

    Nesta terça-feira (24), Jair Bolsonaro telefonou para o presidente chinês, Xi Jinping, e disse que reforçou com ele os "laços de amizade" do Brasil com a China.

    Para Evandro Menezes de Carvalho, foi desnecessário envolver os dois presidentes nesse problema.

    "Essa reação do Bolsonaro mostra um esforço por parte da Presidência de tentar pôr um fim a isto aí [crise diplomática entre os dois países]. Agora, é uma medida que passa por cima do embaixador da China no Brasil, que é quem representa o presidente da China no país. O ideal seria realmente resolver esse problema aqui no Brasil junto às autoridades diplomáticas chinesas e não levar essa questão ao nível presidencial", disse.

    Evandro Menezes de Carvalho disse que é importante que essa crise seja resolvida rapidamente para que o Brasil conte com a parceria da China no combate à COVID-19.

    "Seria muito importante contarmos com a solidariedade da China que tem adotado uma série de medidas que foram exitosas no combate à propagação e o controle do vírus no país. Esse incidente diplomático acontece em um momento extremamente negativo, ele não contribui, não só para relações bilaterais, mas também não contribui para o Brasil", completou.

    O embaixador da China no Brasil disse que a conversa entre Bolsonaro e Xi Jinping foi realizada em um ambiente muito cordial e amistoso e que "chegaram a alcançar importantes consensos".

    Tema:
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)

    Mais:

    Eduardo Bolsonaro contraiu 'vírus mental' em Miami, diz embaixada da China no Brasil
    Embaixada da China recebe ameaças por telefone após publicação de Eduardo Bolsonaro, diz jornal
    Polêmica de Eduardo Bolsonaro com China pode prejudicar relações com o Brasil?
    'Tiro no próprio pé': Embaixada da China volta a exigir desculpas de Eduardo Bolsonaro
    'Não há nenhum problema com a China', diz Bolsonaro após filho culpar chineses pela COVID-19
    Bolsonaro telefona para Xi Jinping e diz que reforçou 'laços de amizade' com a China
    Tags:
    novo coronavírus, COVID-19, Xi Jinping, China, Brasil, pedido de desculpas, Eduardo Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar