21:53 04 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil enfrenta COVID-19 (234)
    120
    Nos siga no

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está sendo consultado por congressistas sobre a possibilidade de adiar as eleições de 2020 devido à pandemia do novo coronavírus.

    Segundo publicou o jornal Folha de São Paulo nesta sexta-feira (20), deputados consultam o TSE sobre um possível adiamento das eleições. A preocupação das lideranças partidárias não é só com as eleições previstas para outubro, mas principalmente com as campanhas que antecedem o pleito.

    As campanhas estão previstas para começarem no dia 16 de agosto, mas são precedidas por convenções partidárias que decidem os candidatos. As convenções partidárias estão previstas para julho e o prazo para a escolha dos candidatos será entre 20 de julho e 5 de agosto.

    Ainda segundo o jornal, o deputado federal Léo Moraes (Podemos-RO) afirmou que a proposta inicial seria fundir as eleições municipais com as eleições de 2022, que elegem deputados, governadores e o presidente.

    Essa possibilidade, porém, ampliaria mandatos de prefeitos e vereadores, o que é visto como um entrave. Além disso, seria necessário a chancela do Supremo Tribunal Federal (STF), uma vez que os mandatos são previstos pela Constituição.

    Diante disso, o deputado propôs ao TSE adiamento das eleições por dois meses. A resposta deve sair em sete dias, porém o Tribunal tem dado indícios de que não está disposto, inicialmente, a fazer a concessão.

    Ao jornal, o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, que a partir de maio assumirá o TSE, afirmou que, por ora, "não há razão para cogitar o adiamento".

    Tema:
    Brasil enfrenta COVID-19 (234)

    Mais:

    Pacote de Paulo Guedes contra crise econômica é insuficiente, dizem economistas
    Coronavírus: Bolsonaro volta a criticar restrições e vê normalidade no Brasil em 6 ou 7 meses
    Estado de Mato Grosso registra 1º caso de coronavírus
    Tags:
    TSE, STF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar