08:11 27 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2150
    Nos siga no

    O senador Nelsinho Trad (PSD-MS), primeiro parlamentar brasileiro diagnosticado com COVID-19, disse que abraçou "meio Congresso" e teve uma rotina intensa nos últimos dias. 

    "Eu abracei meio Congresso. Você entra lá dentro, vindo de uma viagem internacional, e acaba abraçando os caras. A gente gosta deles. Eles gostam da gente. A gente abraça, pergunta como foi [a viagem]", afirmou o senador, segundo publicado pelo jornal O Globo. 

    Trad fez parte da comitiva brasileira que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro em viagem para a Flórida.

    'Tenho certeza que peguei no avião'

    Ele disse "ter certeza" que foi infectado pelo novo coronavírus no avião presidencial, onde contou ter sentado à frente do secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, que foi diagnosticado com o COVID-19. 

    "Eu tenho certeza que peguei no avião. Eu estava no banco um e ele [Fabio] estava no dois, logo atrás de mim. Qualquer tossida ou espirro dele vinha na minha nuca. Do lado dele estava o Filipe Martins [assessor especial da Presidência, que teve resultado negativo para coronavírus]", disse Trad. 

    O senador explicou que decidiu fazer exame após a confirmação positiva de Wajngarten.

    Ele disse ainda que esteve recentemente com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, com o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. 

    "Estive com Rodrigo Maia, com Davi Alcolumbre, com Paulo Guedes, com Mandetta, com Ramos, numa reunião em que falei que deveríamos tomar providência e ter disciplina. Não precisamos esperar morrer um para depois fazer o que tem de fazer", afirmou.

    Trad participou de votações e presidiu reunião da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (CPCMS) no Senado. Ele também esteve com o embaixador da Síria, Mohamad Khafif.

    Congresso 'é o ambiente que o vírus gosta'

    No momento, o parlamentar disse que está em isolamento na sua residência, no Mato Grosso do Sul.

    "Comecei a sentir os sintomas leves de uma gripe três dias depois da viagem. Estou seguindo aquelas orientações básicas que a avó da gente fazia quando tinha hepatite, de não misturar copos. Quando pintava com esmalte o copo e o talher, para não misturar com o dos outros", afirmou.

    O senador disse também que o Congresso é o ambiente ideal para o vírus se espalhar. 

    "É o ambiente que o vírus gosta, qualquer vírus. É um ambiente fechado, com mais de 500 pessoas", afirmou. 

    Além de Trad e Wajngarten, o embaixador Nestor Forster, indicado para ser o representante brasileiro em Washington, testou positivo para o coronavírus, segundo o portal G1.

    Mais:

    OMS diz que Europa é novo 'epicentro' da pandemia de coronavírus
    Coronavírus: 1º paciente diagnosticado no Brasil está curado, revela secretário
    Fiel da balança do PIB brasileiro, setor de serviços pode sofrer com coronavírus, diz analista
    General iraniano do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica falece de coronavírus
    Tags:
    presidente, pandemia, COVID-19, doença, PSD, senador, Senado, Congresso, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar