16:08 11 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    11216
    Nos siga no

    O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta quarta-feira (11) a paralisação das investigações sobre uma suposta rachadinha do hoje senador Flávio Bolsonaro. 

    Esta é a terceira vez que as investigações sobre o filho do presidente Jair Bolsonaro são paralisadas. As decisões anteriores foram dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux e Dias Toffoli. 

    A paralisação mais recente foi decisão da desembargadora Suimei Meira Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal. Ela acatou um habeas corpus apresentado pela defesa do senador que apontou que o caso tramitou na primeira instância e, na verdade, deveria ser julgado pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. 

    As investigações são sobre os supostos crimes: peculato, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio e organização criminosa. A investigação envolve Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio e amigo de Bolsonaro. 

    Com a pausa na investigação, o Ministério Público não pode oferecer denúncia contra o senador. Caso o pedido de Flávio seja aceito, seu caso sairá das mãos do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, e será decidido pelos 25 magistrados do Órgão Especial, informa o jornal Folha de S. Paulo. 

    Mais:

    'Fui eleito em 1º turno': Bolsonaro sugere fraude nas eleições de 2018 e divide opiniões
    Bolsonaro diz que 'pequena crise' do coronavírus é 'muito mais fantasia'
    Após Bolsonaro afirmar sem provas que eleição foi fraudada, TSE defende urnas eletrônicas
    Demos 1º passo para acordo de livre comércio com os EUA, diz Bolsonaro
    Chefe da Secom, que viajou com Bolsonaro, tem suspeita de coronavírus, diz colunista
    Tags:
    corrupção, Ministério Público, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar