07:50 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2312
    Nos siga no

    Nesta quinta-feira (5), o ex-secretário nacional de Justiça, Astério Pereira dos Santos, foi preso em casa, no Leblon, em uma operação da Lava Jato no RJ.

    No fim da madrugada, os agentes da Polícia Federal (PF) deixaram a Superintendência, localizada na Praça Mauá, para realizar a prisão de Astério.

    Astério é suspeito de lavar dinheiro e ajudar na fuga do empresário Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, conhecido como Rei Arthur, segundo o portal G1.

    Além de Astério, a PF tem como alvo o filho de Astério, o suposto sócio do ex-secretário, Carlson Ruy Ferreira, e um delegado da Polícia Civil do RJ.

    Anteriormente, a PF teria cumprido sete dos nove mandados de prisão. Outros 32 mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas.

    Brasão da Polícia Federal do Brasil (arquivo)
    © Sputnik / Renan Lúcio
    Brasão da Polícia Federal do Brasil (arquivo)

    Entre 2003 e 2006, o procurador aposentado do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) Astério esteve à frente da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária. Já em 2017, ele integrou o governo Temer.

    Astério é o terceiro integrante do MPRJ alvo de mandado na Lava Jato. Além dele, Cláudio Lopes e Flávio Bonazza já foram investigados e presos.

    De acordo com a denúncia, Bonazza recebia R$ 60 mil de mesada de empresários de ônibus para agir em benefício do setor dentro do MP. Já o ex-procurador geral de Justiça do estado, Lopes, é suspeito de receber mesada da organização criminosa chefiada por Sérgio Cabral.

    Mais:

    Dallagnol: É 'irresponsabilidade' dizer que Lava Jato quebrou empresas
    Lava Jato: nova fase em São Paulo investiga acordos ligados ao filho de Lula
    Marcelo Odebrecht diz que Lava Jato foi 'gatilho' para quebra da empresa
    Tags:
    Rio de Janeiro, Polícia Federal, operação, lava jato, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar