08:01 13 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1017
    Nos siga no

    Policiais militares seguem em greve no Ceará desde 18 de fevereiro. Moro condenou o motim da PM em encontro com governadores, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

    O ministro da Justiça, Sergio Moro, condenou neste sábado a greve da PM no Ceará, mas destacou que os PMs não podem ser tratados como criminosos.

    "O governo federal vê com preocupação a paralisação que é ilegal da Polícia Militar do estado. Claro que o policial tem que ser valorizado, claro que o policial não pode ser tratado de maneira nenhuma como um criminoso. O que ele quer é cumprir a lei e não violar a lei, mas de fato essa paralisação é ilegal, é proibida pela Constituição", disse Moro, citado pelo portal G1.

    O ministro participou do 6º encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud) em Foz do Iguaçu e discursou para governadores de sete estados.

    A Constituição Federal proíbe a paralisação de policiais.

    Os PMs do Ceará seguem em greve desde 18 de fevereiro, exigindo aumento salarial. Os grevistas têm invadido e ocupado quartéis.

    Pelo menos 230 policiais já foram afastados das funções por três meses por motim, insubordinação e abandono de posto.

    Os PMs amotinados exigem anistia aos participantes para encerrar o movimento.

    Com motim, o número de assassinatos no Ceará mais que dobrou em fevereiro de 2020 em comparação com o mesmo mês de 2019. Foram 364 mortes neste ano, contra 153 mortes no ano passado.

    Tags:
    Brasil, Ceará, motim, PM, Sergio Moro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar